Personagens de ‘Hamlet’ são hibridizadas com orixás em peça com ex-aprendizes

Publicado em: 31/03/2014

As personagens de “Hamlet”, de William Shakespeare, hibridizadas com os arquétipos dos orixás e fundidas a seus fantasmas, tornando-se humanos capazes de lidar com eles. Esta é a adaptação da tragédia feita pela Cia do Pássaro no espetáculo “Oriki (Kongeriget-Ifé)”.

 

Com direção de Dawton Abranches e texto de Dione Carlos, aprendiz egressa do curso de Dramaturgia da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, a montagem fica em cartaz de 6 de abril a 31 de maio, no Espaço Cia. do Pássaro.

 

No elenco, estão Alessandro Marba, Cristiano Belarmino, Deise Rodrigues, Dudu Oliveira, Fábio Joaquim do Vale, Geovana Pagel, Giovana Dorna, Karina Bastos, João Carlos Gomes e Breno da Matta, que também é aprendiz egresso da Escola, onde cursou Atuação.

 

“O termo hibridismo surgiu logo no início dos encontros entre direção e dramaturgia. Sendo assim, partimos do princípio de que os arquétipos seriam fundidos, misturados. A narrativa ficou como a tela que abriga uma pintura. Este quadro recebeu o nome de Oriki”, explica Dione, que foi convidada para escrever a adaptação no ano passado.

 

Orikis são textos poéticos entoados aos orixás. De acordo com a dramaturga, apropriar-se desse formato permitiu que a criação da peça não se limitasse a características predeterminadas. Assim, a partir dessa confluência, novos seres puderam ser criados. “Uma matéria orgânica que pulsa”, define.

 

“Oriki é a possibilidade de vivenciar uma heterotopia através da fala. Ouvir o choro de um recém-nascido, olhar em seus olhos pela primeira vez e assim como ele lançar-se ao desconhecido”, comenta Dione.

 

O encontro entre diferentes está presente também no subtítulo. Segundo a dramaturga, “Kongeriget” é um termo dinamarquês que significa “reino”. Já “Ifé”, além de ser uma antiga cidade nigeriana, também é “amor” no idioma Yorubá. “O amor como o resultado do encontro entre eles. Quando a única verdadeira semelhança é a diferença, a singularidade de cada um.” 

 

 

Serviço

“Oriki (Kongeriget-Ifé)” 

Quando: Em abril, domingos, às 19h; em maio, sábado, às 21h (de 6/4 até 31/5)

Onde: Espaço Cia. do Pássaro

Rua Álvaro de Carvalho, 177 – República

Duração: 50 min.

Tel.: (11) 98365-5850

Ingresso: R$20

 

Texto: Felipe Del