Peça sobre a loucura faz apresentação na SP Escola de Teatro

Publicado em: 17/02/2014

“A tragédia em cena já não me basta. Quero transportá-la para minha vida”. A frase de Antonin Artaud e a pesquisa sobre loucura servem como mote para o espetáculo “Pulsão”, exercício cênico do quarto semestre do Técnico em Artes Dramáticas da Fundação das Artes. 

 

A peça, que conta com participação de aprendizes de Iluminação e Sonoplastia da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, será apresentada na Sede Roosevelt da Instituição neste sábado (22), às 20h.

 

 

“É comum ser louco?”, questiona a peça, que provoca que talvez seja ainda mais louco pensar que existe gente comum, afinal. O exercício cênico da Turma 52 faz uma investigação acerca das prováveis loucuras no meio dos ditos comuns e do que há de mais comum nos ditos loucos. Esse processo consistiu em pesquisas, seminários e elaboração livre de cenas a partir de várias fontes advindas da literatura, teatro e cinema.

 

Transitando entre realidade e fantasia, a montagem tenta afastar os estereótipos criados em torno das pessoas que possuem transtornos. Luana Della Crist, aprendiz de Iluminação da Escola, integra o elenco e assina o desenho de luz. Também aprendizes, Lutz Gallmeister e Glauber Marques assumem a sonoplastia, enquanto Guilherme Trindade trabalha na iluminação.

 

O processo foi acompanhado por orientação musical, o que desembocou na composição de algumas músicas e na preparação de um repertório também já conhecido do público.

 

Serviço

“Pulsão”

Quando: Sábado (22), às 20h

Onde: SP Escola de Teatro – Sede Roosevelt

Praça Roosevelt, 210 – Consolação

Tel.: (11) 3775-8600

Grátis

 

 

Texto: Felipe Del