Os Sapatos que Revelam Histórias

Publicado em: 18/05/2011

Uma agitação generalizada tomou conta da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco na manhã desta quinta-feira. Ao percorrer os corredores, via-se no rosto dos funcionários e aprendizes uma expressão confusa, e, nos pés… nada além de meias. Era a primeira abertura de processo do Experimento do Módulo Azul, realizada pelo grupo 2, que é coordenado por Grissel Piguillem, formadora de Iluminação da Escola.
 
Os aprendizes do grupo passaram de sala em sala “roubando” os calçados de todos que encontravam pelo caminho, levando-os, em seguida, para sua sala de trabalho, onde os objetos foram utilizados para a apresentação que se seguiu.
 
No ambiente, via-se uma pilha de tênis e sapatos no chão, duas fileiras de cadeiras e um banquinho. Os aprendizes escolhiam um calçado da pilha e se revezavam em depoimentos sobre a história por trás daqueles objetos. “Propomos aos atores que eles dessem depoimentos pessoais ou não, ficava a critério deles”, observa Fabrício Castro um dos aprendizes de Direção do grupo.
 
Mas, afinal, qual o motivo da utilização de calçados para a composição das performances desse Experimento, que é baseado na obra “Van Gogh: o Suicidado pela Sociedade”, de Antonin Artaud?  Castro explica: “Escolhemos porque Van Gogh costumava pintar sapatos em seus quadros e contar a história e o sentimento que despertavam nele”. 
 
Castro complementa que o objetivo do grupo é discutir o limite entre a razão e a loucura. “Além disso, observamos a questão do acúmulo, a forma como as pessoas colecionam as coisas. O que é normal nisso e o que é loucura?”, questiona.
 
Uma curiosidade completa a ligação com a obra pesquisada: Artaud foi encontrado morto, no hospício onde estava internado, com um sapato na mão. Mas, segundo os integrantes do grupo, isso só foi descoberto por eles após a escolha do tema e não passa de uma grande coincidência.
 
O grupo faz mais duas aberturas de processo, nos dias 19/05, às 11h, e 21/05, às 12h.
 
Para entender um pouco mais sobre a estrutura do Experimento do Módulo Azul, clique aqui