Os Fofos Encenam e “A canção de Bernadete”

Publicado em: 19/07/2013

Depois da pantomima ´”Antes do enterro do anão”, da burleta caipira “Vancê não viu minha fia?” e do melodrama policial “A ré misteriosa”, Os Fofos Encenam estreiam o quarto espetáculo do projeto Baú da Arethuzza. A continuação da pesquisa sobre o universo do circo-teatro segue com “A canção de Bernadete”, melodrama religioso, que entra em cartaz amanhã (20), no Espaço dos Fofos, onde permanece até segunda-feira (29).

O texto, baseado em fatos reais, tem como protagonista a jovem camponesa Bernadete Soubirous, que, em 1858, na França, teve visões da Virgem Maria, em Lourdes – local de peregrinação católica até hoje. No espetáculo, Bernadete recebe a visita de uma senhora “vinda do céu”. Os moradores da cidade acreditam que ela seja a Virgem Maria. Já as autoridades locais, uma fantasia criada por uma menina paranoica. A visão da moça acaba gerando embates entre fé e incredulidade, numa época de apogeu das ideias racionalistas.

A peça integra o repertório da companhia circense Circo Teatro Arethuzza (que surgiu no século 19 e existiu até meados dos anos 1960). Trata-se de uma adaptação realizada pela proprietária do circo, Arethuzza Neves. Em cena, Carlos Ataide, Cris Rocha, Eduardo Reyes, Erica Montanheiro, Katia Daher, Marcelo Andrade, Paula Hemsi, Paulo de Pontes, Rodrigo Pocidônio, Stella Tobar e Zé Valdir, além da criança Lucas Melo, de 9 anos, filho do ator Marcelo Andrade.

“A canção de Bernadete” teve versão cinematográfica em 1943. Dirigido por Henry King, o filme foi indicado a sete categorias do Oscar, e ganhou quatro: melhor atriz (Jennifer Jones); direção de arte; fotografia em preto-e-branco (Arthur C. Miller), e trilha sonora (Alfred Newman). Nesta versão apresentada pelos Fofos, o filme serviu como base para a adaptação do texto realizada pelo diretor Fernando Neves. “Existe um jogo político de interesses, um embate entre a Igreja e a Política, uma discussão sobre o oportunismo, o poderio da Igreja no século 19 e os políticos. Na peça, os políticos querem construir uma estrada de ferro onde a Virgem Maria apareceu para Bernadete, que virou santa”, diz o diretor.

Baú da Arethuzza

O título do projeto faz alusão ao acervo teatral de Fernando Neves. Descendente de família do Circo Teatro Arethuzza, o diretor herdou diversos textos teatrais. Neste projeto, Os Fofos Encenam se propõem a investigar a evolução da teatralidade circense (cenografia, dramaturgia e interpretação) durante o período de 1910 a 1950.

Serviço
Peça: “A canção de Bernadete”
Quando:  sábado, às 21h; domingo, às 19h; segunda, às 20h. Até dia 29 de julho.
Onde: Espaço dos Fofos
Rua Adoniran Barbosa, 151 – Bela Vista
Tel.: (11) 3101-6640
R$ 20

 

Texto: Esther Chaya Levenstein