O Velho Oeste de Richard Maxwell no FIT

Publicado em: 20/07/2010

A busca pela singularidade, tema deste ano do FIT – Festival Internacional de Teatro de São José do Rio Preto, trouxe, ao palco da sala 1 da Swift, uma subversão do gênero musical: o western “Ode ao Homem que Se Ajoelha”,  dirigido e escrito pelo norte-americano Richard Maxwell,  uma das vozes mais originais da dramaturgia contemporânea internacional.

O grupo de vanguarda New York City Players, com um elenco de atores de grande técnica, cultuado em todo mundo, apresentou a peça que revisita uma das tradições de seu país, a conquista do Oeste americano. Porém, sua visão alia a nostalgia com descrença e  ceticismo, colocando em cena cinco personagens que dialogam em tons monocórdios, porém cuidadosamente elaborados.

Em busca da essência da vida, “Ode Ao Homem Que Se Ajoelha” utiliza um palco rústico com poucos elementos em seu cenário, como uma cadeira, um banco e uma mesa, que cria uma gramática complexa e constrói uma ponte entre o espetáculo e o público. A funcionalidade radical do cenário se expande à sonoplastia e iluminação, e também na atuação, revelando o deboche de Maxwell pela tradição teatral. A iluminação, por exemplo, se resume a um holofote, dentro de uma caixa de madeira,  que reflete, com o único foco de luz, a sombra dos atores no fundo branco do palco.  E, no espaço teatral, pianista, violonista, iluminação, cenário, atores e técnicos permanecem em cena e fora dela, criando a ação.

O musical de Maxwell, que conta a história de um cowboy assassino, o “Homem Ajoelhado”, que contracena com o “Homem Arrojado” na disputa pelo afeto da “Mulher que Espera”, exalta figuras típicas do western, mas às avessas, bem longe dos modelos produzidos pela Broadway e eternizados por Hollywood. Um espetáculo singular, apaixonado e simples. Único de se ver.

A propósito, a palavra “unique” foi a usada pelo diretor quando tomou conhecimento do projeto pedagógico da SP Escola de Teatro – Centro de Artes do Palco. Durante uma entrevista, ele manifestou o desejo de conhecê-la pessoalmente, numa próxima vez que visitar o País.

O espetáculo de Richard Maxwell participou do 10º FIT, entre os dias 16 e 18 de julho. A programação do evento continua até dia 24, com uma seleção de peças que procura, na experimentação, novas luzes e um olhar singular e inédito na criação teatral.
 

Texto e foto: Renata Forato