EN | ES

O Teatro no Circo: a Memória Oral e a Memória Escrita

Publicado em: 16/09/2010

Palhaçaria, Dramas, Farsas e Comédias são as três fases que dividem o ciclo de estudos “Entre Risos e Lágrimas – O Teatro no Circo (da Pantomima aos Dramas)”. O projeto tem inúmeros objetivos, desde promover intercâmbio entre o circo, a academia e gerações formadas pelos circos itinerantes de lona e escolas de circo até fortalecer a parceria do Centro de Memória do Circo com o Arquivo Miroel Silveira.

 

“Entre Risos e Lágrimas – O Teatro no Circo (da Pantomima aos Dramas)” pretende criar um banco de dados sobre a dramaturgia teatral circense. A primeira fase, que recebeu o nome de Palhaçaria, conta com a participação da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, das escolas de palhaços e de humor do Núcleo de Formação dos Doutores da Alegria. Colabora ainda nesta fase o professor e doutor Mário Fernando Bolognesi, responsável pelo registro escrito de alguns clássicos da palhaçaria tradicional do circo e dos palhaços mestres Pepim (Raul Hernando Robayo), Picoli (Benedito Sbano), Picolino (Roger Avanzi), Pururuca (Brasil João Carlos Queirolo) e Xuxu (Franco Alves Almeida).

 

Num primeiro momento, os palhaços transmitirão seus conhecimentos aos aprendizes que, em seguida, vão praticar o que aprenderam sob a orientação de suas respectivas escolas e palhaços mestres. Por fim, no Dia do Palhaço (10 de dezembro), os aprendizes vão mostrar na Sala Olido, as cenas cômicas e todas as informações obtidas no desenrolar do processo, o material fará parte do banco de dados sobre a dramaturgia teatral circense.

 

“Selecionamos 10 aprendizes do Curso de Humor para participar desse Ciclo de Palestras, os critérios foram: interesse, disponibilidade, aptidão e desempenho em sala de aula”, explica Raul Barretto  “Eu e Bete Dorgam fizemos essa peneira. Estamos muito felizes com a participação de nossos alunos, é uma coisa rara ver o processo criativo de pessoas que possuem tanta tradição oral. Os circenses só dividem conhecimento depois de muita confiança”, afirma.

 

O projeto reuniu alguns dos maiores e mais importantes palhaços que atuam hoje em São Paulo: Picolino II (Roger Avanzi, um dos mais importantes memorialistas do circo brasileiro e que influenciou diretamente o trabalho de grupos como os Parlapatões, La Mínima e Doutores da Alegria), Picoli (Benedito Sbano – cômico principal de um dos mais respeitáveis clãs circenses do país que é a família Sbano), Pururuca (Brasil João Carlos Queirolo – representante do famoso clã Queirolo, que fez do seu circo uma verdadeira escola de cômicos), Pepin (Raul Hernando Robayo – que atuou em diversos circos tradicionais) e Xuxu (Franco Alves Monteiro – que, entre outros feitos, foi o último parceiro do palhaço Piolin).

 

A iniciativa do projeto é do Centro de Memória do Circo (CMC), do Departamento do Patrimônio Histórico (DPH), da Secretaria Municipal de Cultura da Cidade de São Paulo, em colaboração com o Arquivo Miroel Silveira (AMS), da Biblioteca da Escola de Comunicações e Artes (ECA), da Universidade de São Paulo (USP), liderada pela coordenadora do CMC, Verônica Tamaoki e pelo pesquisador do AMS, professor e doutor Walter de Sousa, que defendeu tese de doutorado e realiza pesquisa de pós- doutorado com bolsa Fapesp sobre o palhaço Piolin.

 

Na segunda (4/10), o projeto será lançado com um evento de apresentação dos mestres para os alunos e uma rápida explicação do programa e do conteúdo do Ciclo de Estudos. Confira o cronograma da Fase I – Palhaçaria que será cumprido entre o meses de outubro e dezembro de 2010:

 
6/10 – 15h – Xuxu – “Caverão” e “Dói Dói”;
18/10 – 15h – Pepin e Florcita – “Dentista” e “Bomba”;
20/10 – 15h – Picoli – “Puxa-saco” e “Sonâmbula”;
25/10 – 15h – Pururuca – “Tiro ao Alvo” e “Com uma Mão Só”;
27/10 – 15h – Picolino – “O Relógio” e “Piada”;

* Após a apresentação, os palhaços mestres vão falar sobre sua história, sua arte e seus saberes.

Mês de novembro – Ensaios sob a direção das escolas e orientação dos palhaços mestres;

10 de dezembro – Mostra das cenas cômicas na Sala Olido/Galeria Olido, em São Paulo.