Não pode ir ao teatro, vá aos livros!

Publicado em: 05/08/2010

 

 

Para quem está começando, quem está no meio do caminho ou quem já completou esse caminho, ou seja, para qualquer tipo de autor ou pesquisador, ler dramaturgia e saber o que está acontecendo na cena atual do teatro brasileiro alimenta a alma, a arte e a vida, declarou a dramaturga Gabriela Mellão, escritora da Coleção Primeiras Obras.

A Coleção Primeiras Obras foi organizada por Ivam Cabral – um dos fundadores da Cia. de Teatro Os Satyros e diretor artístico da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco – e lançada, pela Imprensa Oficial, em parceria com os Satyros Literatura e a Associação dos Artistas Amigos da Praça.

A publicação, que contemplará 20 volumes com textos teatrais, lançada em duas etapas distintas, traz, em sua primeira fase, 61 textos para teatro, com a ideia de documentar o movimento dramatúrgico surgido na cidade de São Paulo na Praça Roosevelt, sobretudo, a partir do final dos anos 90, onde a criação de textos teatrais em São Paulo se consolida e passa a ser uma das mais relevantes da história do teatro brasileiro paulistano.

Segundo o diretor e dramaturgo Roberto Alvim, as peças reunidas na Coleção Primeiras Obras (em sua miríade de tendências, temáticas e estratégias dramatúrgicas de construção) agem como um Norte, sugerindo caminhos e desdobramentos para as questões mais urgentes de nosso Teatro – e, inevitavelmente, de nossa enigmática vida contemporânea. Publicá-las significa ampliar a possibilidade de seu alcance, constituindo-se como iniciativa vital no campo do debate teórico e da criação artística em nosso país.                

Para o jornalista e prefaciador da coleção, Jefferson Del Rios, os textos têm o mérito de dar visibilidade a artistas contemporâneos. “Dramaturgia raramente é editada e, durante muitos anos, os autores existiram apenas em seus originais ou  cópias que corriam de mão em mão. Esta iniciativa  amplia a circulação das obras o que é muito bom para o teatro em geral”, afirma.

Evaristo Martins de Azevedo, também prefaciador, acredita que a Coleção Primeiras Obras é uma iniciativa importante para aqueles que, gostam de teatro, interessa a quem estuda  teatro e é fundamental para quem pesquisa novos textos e experiências teatrais. “A iniciativa é fantástica para o público que antes, quando se apaixonava por alguma peça contemporânea, não tinha acesso ao texto. Agora, com essa coleção, o público vai poder ler a dramaturgia de peças que são realmente apaixonantes, que são objeto de curiosidade ou de desejo. É ótimo poder levar para casa o espetáculo, ou, ao menos, seus diálogos, suas frases marcantes, enfim, sua dramaturgia”, comenta.

Já Lucianno Maza, um dos autores da Coleção, diz que é essencial ter uma publicação que congregue informações sobre o teatro brasileiro. “Essa iniciativa é uma maneira inteligente de registrar o teatro numa época importante, quando ele busca  trabalhar numa linha que não é necessariamente comercial e possui uma identidade própria. Obras e artistas materializados e registrados perpetuam a história e valorizam a profissão”, conclui.

Na primeira etapa, nove volumes são dedicados ao trabalho de Otávio Martins, Gabriela Mellão, Ivam Cabral, Sérgio Roveri, Sergio Mello, Rudifran Pompeu, Marcos Damaceno, Lucianno Maza e Vera de Sá. O último título é uma coletânea composta por 29 peças, de diversos autores, apresentadas durante o DramaMix 2007, evento que integra as Satyrianas, realizado na Praça Roosevelt, sendo eles:  Alex Gruli, Ana Rüsche, Andréa Bassitt, Antonio Rocco, Bráulio Mantovani, Célia Forte, Cláudia Vasconcellos, Contardo Calligaris, Duílio Ferronato, Eduardo Sterzi, Gerald Thomas, Germano Pereira, Jarbas Capusso Filho, João Luiz Sampaio, José Simões, Jucca Rodrigues, Lúcia Carvalho, Marici Salomão, Mário Viana, Mário Bortolotto, Marta Góes, Nicolás Monasterio, Noemi Marinho, Renata Pallottini, Roberto Alvim, Priscila Nicolielo, Paulo Vereda, Rogério Toscano, Sabina Anzuategui.

Cada volume traz prefácio de outro importante nome. O volume dedicado a Otávio Martins, por exemplo, é apresentado por Silvana Garcia; Gabriela Mellão por Alberto Guzik; Ivam Cabral por Erika Riedel; Sérgio Roveri por Otavio Frias Filho; Vera de Sá por Jefferson Del Rios; Sergio Mello por Mário Bortolotto; Rudifran Pompeu por Evaristo Martins de Azevedo; Marcos Damaceno por Roberto Alvim; Lucianno Maza por Alcides Nogueira.

Confira abaixo a lista dos pontos de venda em São Paulo e aproveite, afinal, segundo Gabriela Mellão, “publicação de dramaturgia contemporânea é um feito raro. Esse ensejo traz possibilidades para aqueles que não têm acesso aos espetáculos em São Paulo. Quem não pode ir ao teatro, pode ir aos livros!”

 

Pontos de venda:
Estação Pinacoteca;
Filial Ribeirão Preto;
HQ MIX;
Livraria Casa das Rosas;
Livraria da Vila Moema;
Livraria Museu da Imagem e do Som;
Livraria XV de Novembro;
Museu da L Portuguesa.

 

Texto: Renata Forato