EN | ES

Miriam Guarachi, da Associação de Mulheres Imigrantes Luz e Vida, relata a importância da parceria com o Programa Oportunidades, para crianças e jovens bolivianos

Publicado em: 09/03/2023 |

No segundo semestre de 2022, a SP Escola de Teatro realizou, por meio do Programa Oportunidades, atividades artísticas para crianças e adolescentes bolivianos que moram próximos à sede Brás da instituição.

A oficina é resultado de uma parceria entre a SP Escola de Teatro e a Associação de Mulheres Imigrantes Luz e Vida, oferecendo oficinas de Jogos Teatrais para esses jovens e foram ministradas por estudantes da SP, contemplados com a Bolsa-Oportunidade.

Quando o corpo fala | Entrevista com a companhia de teatro gestual Dos à Deux

Miriam Guarachi, responsável pela Associação, concedeu uma entrevista à equipe de Comunicação da Escola, reportando a importância dessas oficinas, as quais tiveram o objetivo de estimular a expressão corporal e emocional da criança por meio de exercícios cênicos de improvisação.

Confira a entrevista na íntegra:

Para você qual a importância da parceria entre a SP Escola de Teatro e a Associação de Mulheres Imigrantes Luz e Vida?

Um dos grandes desafios como população imigrante no momento de assumir nossa cidadania no Brasil, em São Paulo, sem dúvidas é entender que o acesso a espaços municipais culturais é importante, ter a informação da existência desses espaços que abrem as portas para as pessoas, e que eles têm oferecido serviços educacionais que contribuem no crescimento pessoal. A parceria com a SP Escola de Teatro do Brás tem uma importância muito significativa, porque nos permite o exercício do nosso direito de ocupar os equipamentos culturais públicos e onde também temos um acercamento a expressões e formas culturais da comunidade receptora, onde se converteria em espaços de trocas interculturais que favorece ao rompimento de ideias de exclusão e preconceitos, que ainda existem na sociedade. Esta parceria tem nos mostrado de forma positiva que é preciso um acercamento entre demandas do território, principalmente com jovens imigrantes que moram ao redor e que procuram ensinamentos diferentes além das escolas. Como somos um coletivo de mulheres mães, estes espaços são necessários para a formação complementar das gerações jovens e também de nós como pessoas.

Qual foi o impacto das oficinas de jogos teatrais para as crianças e os jovens bolivianos?

Para dar início à resposta é importante mencionar que os grupos de jovens e crianças que participaram das oficinas têm uma particularidade, entre eles têm meninos e meninas que são originários da Bolívia, mas também estão os que nasceram em São Paulo, que são filhos de imigrantes. Isso é importante destacar, já que essa segmentação de alguma forma afeta no desenvolvimento psicossocial dos jovens, esses estereótipos são os que geram um sofrimento de pertinência e crises de identidade. Justamente isso é o que a gente quer mudar, que nós não sintamos que devemos esquecer de nossas raízes, porque todos nós somos seres humanos com direitos, deveres e com capacidades diferentes. As oficinas de teatro têm contribuído muito na construção do entendimento da dinâmica da vida, onde os jovens e crianças são os protagonistas, e que circunstâncias podem ser olhadas de diferentes ângulos.

Os jovens e crianças que participaram das oficinas vêm de realidades diferentes, mas o que há em comum entre eles é que a maior parte do tempo que passam em casa se sentem sozinhos e mesmo assim eles têm sonhos e aspirações. Durante o tempo que acompanhei o desenvolvimento das oficinas, vi com satisfação que a interrelação entre os jovens e a crianças com os mediadores tem gerado uma relação de confiança e respeito harmônico. Assim também tem mostrado mudanças nas atitudes dos jovens, como por exemplo: a timidez tem se transformado; eles tiveram maior consciência de interpretar o que uma expressão física quer dizer ou transmitir alguma coisa; o desejo de querer aprender mais. As mães destes jovens têm comentado que houve uma mudança no comportamento e que de alguma forma isso contribuiu no desenvolvimento nas escolas. Esse desejo de continuar com as oficinas de teatro para aprofundar mais a capacidade de criar uma narrativa de vida e transmitir uma mensagem é o que se fomenta nos jovens e crianças, isso é sem dúvida um grande passo.

Para você, qual é a importância da articulação entre arte e sociedade que a SP Escola de Teatro faz através do seu Programa Oportunidades?

A articulação entre arte e sociedade é muito necessária, acredito que as formas culturais vêm se transformando a partir de como a gente muda nossas atitudes na realidade que existimos. As vezes é tão complicado transmitir aquilo que afeta a nossa humanidade e dessa forma uma pintura, uma música, um roteiro de teatro podem facilitar a expansão de mensagens que geram mudanças, principalmente nas gerações mais jovens. Talvez essas formas artísticas sejam um ponto de partida para as construções de sociedades mais justas, assim também para a aprendizagem de estudos técnicos, que geram fontes de trabalho, como oportunidades de superação com capacidade de transformações coletivas em nosso contexto tão globalizado.




Relacionadas:

Notícias | 23/ 04/ 2024

Cia Asfalto de Poesia estreia espetáculo de teatro adulto “Pequeno Circo das Atrapalhadas”

SAIBA MAIS

Notícias | 23/ 04/ 2024

Inscreva-se na oficina gratuita de atuação “Corpo e Identidade na Cena”

SAIBA MAIS

Notícias | 22/ 04/ 2024

Clã do Jabuti apresenta “Noite de Brinquedo no Terreiro de Yayá”

SAIBA MAIS