Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão
indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.
Em atendimento à legislação eleitoral, os demais conteúdos deste site ficarão indisponíveis de 2 de julho de 2022 até o final da eleição estadual em São Paulo.
EN | ES

Mães pretas periféricas do Brincando na Kebrada fazem sessão digital neste sábado

Publicado em: 16/10/2020

O Brincando na Kebrada é um coletivo de mães pretas, pedagogas e artistas periféricas, que acredita na cultura da infância por meio do brincares. E nestes tempos de distanciamento físico, elas criaram o Brincando em Casa, que será apresentado neste sábado, 17 de outubro, às 16h, na SP Escola de Teatro Digital. Os ingressos já estão disponíveis. A entrada consciente custa R$ 12,50 e a bilheteria será destinada ao grupo de mães. Quem não puder pagar pode retirar pela cota de ingressos grátis, voltados a pessoas em situação de vulnerabilidade social.

A programação promete a contação da história Olelê, Uma Antiga Cantiga da África, do escritor Fábio Simões. O Brincando na Kebrada vai ensinar as crianças a produzirem e organizarem um cenário com tecidos afros e coloridos, elementos da natureza, abayomis e alguns personagens do próprio livro.

A intenção é levar às crianças lazer, diversão, interação e aprendizagem em casa. Tudo com textos escritos por negras e negros brasileiros em convergência com as novas tecnologias.

“É por meio do acervo afro-literário que cantamos, contamos e encantamos histórias do nosso povo, empoderando e elevando a autoestima de todas as crianças, principalmente as negras”, pontua Mineia Oliviera, integrante do BNK, como é chamado carinhosamente o Brincando na Kebrada, cuja sede fica no bairro Ermelino Matarazzo, na zona leste paulistana.

“Durante a contação, convidaremos os participantes para uma construção coletiva de embarcações como: barquinhos, jangadas, canoinhas para encorajar as crianças a fazer a ‘travessia’ de enfrentamento aos medos e anseios, além de exercitar a escuta, o respeito aos mais velhos, promover a solidariedade o trabalho coletivo e o cuidado com outro”, complementa.

A SP Escola de Teatro Digital é um projeto da Coordenadoria de Extensão Cultural, sob curadoria de Miguel Arcanjo Prado e produção de Giovana Gallucci.

(Fotos: Nappy e Divulgação)

Retire seu ingresso para o Brincando na Kebrada!




Relacionadas:

Notícias | 10/ 08/ 2022

SP Escola de Teatro fecha importante parceria com a Universidade de Gdańsk, da Polônia

SAIBA MAIS

Notícias | 10/ 08/ 2022

Processo Seletivo 2/2022: Confira os aprovados na 2ª chamada para turmas do 2º semestre de 2022

SAIBA MAIS

Notícias | 09/ 08/ 2022

Espetáculo Eu, Atlântica, do Oju Oju Coletivo, estreia na sede Roosevelt da SP Escola de Teatro, na próxima sexta (12)

SAIBA MAIS