Lumilusões em Madison

Publicado em: 29/06/2011

Mesmo antes dos aprendizes voltarem da Quadrienal de Praga, na qual participaram da Mostra das Escolas com três maquetes e cinco pranchas de figurino, Fernando Miranda Azambuja, do curso de Iluminação, já prepara sua ida à Madison. A viagem a República Tcheca é só um dos intercâmbios internacionais realizados pelos aprendizes da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco.

 

Azambuja vai voar até o estado americano de Wisconsin para, entre os dias 25 e 27 de julho, participar da Create, Understand, Experience (CUE), um evento anual promovido pela Electronic Theatre Controls (ETC), maior fabricante de equipamento luminotécnico do mundo, que oferece, a um público diverso, a possibilidade de se inteirar e atualizar seus conhecimentos sobre iluminação teatral.

 

A CUE vai proporcionar um panorama de equipamentos fabricados pela ETC, além de palestras, seminários, workshops, treinamentos práticos e explanação diária de soluções de problemas de ordem luminotécnica, serão oferecidos durante a feira.

 

Conhecer não só os equipamentos e tecnologias desta empresa, mas de todo mercado foi o que suscitou o interesse do aprendiz em participar desta feira. “Desde que enveredei pelo caminho do teatro, tenho curiosidade em conhecer mais sobre iluminação”, conta Azambuja que iniciou na área como ator e hoje, mantém, como relata, “a atuação no mesmo patamar que a iluminação e é completamente apaixonado pelo teatro e todas suas facetas”.

 

“Creio que a viagem será algo de extrema importância e valia para minha formação, acrescentando não só ao meu repertório técnico-ferramental como promovendo uma experiência singular. Vejo a SP Escola de Teatro como formadora de artistas e profissionais atuantes e pensantes, assim, acredito que esse meu projeto contemple este pensar”, conclui.

 

A Iluminação Pelo Olhar de Azambuja

 

Azambuja mantém um blog, Ilumilusões, e se refere a ele como um espaço dedicado às considerações, análises e vivências do fazer luz e todos os seus desdobramentos. Em uma de suas postagens, o aprendiz contou que a ideia e a vontade de visitar a feira em Madison surgiu quando recebeu um e-mail da ETC. Sem condições financeiras para realizar a viagem, Azambuja lembrou que tinha a possibilidade de receber um auxílio pelo Programa Kairós. “Pensei: será? E a resposta veio em seguida: o máximo que vou receber é um ‘não’. Escrevi o projeto, enviei e… voilá! Viagem confirmada para julho!”, relata em seu blog.

 

Em contrapartida ao investimento de $200,00 e das passagens de ida e volta à Madison, feitos pela Escola por intermédio do Programa Kairós, Azambuja promete, além de dividir seus novos conhecimentos com os colegas da SP Escola de Teatro, atualizar seu blog com as novidades e dia a dia da feira. “Quando estiver viajando, postarei no blog tantas atualizações quanto eu conseguir. Até lá, usarei o blog pra contar as novidades acerca da viagem”, explica o aprendiz que, por hora, cuida da retirada de seu visto americano.

 

Programa Kairós

 

Na mitologia grega, Kairós é o deus da oportunidade. Significa “o momento certo” ou “oportuno”. Os gregos tinham duas palavras para definir o tempo: Chronos e Kairós. A primeira refere-se ao tempo cronológico. A segunda, a um momento indeterminado no tempo onde algo especial acontece. A imagem que simboliza Kairós é a do garoto de cabelo de fogo que passava rápido diante dos olhos das pessoas. Súbito, o desafio daqueles que o viam era agarrá-lo e, assim, garantir boa ventura para sempre.

 

Desta forma, assim como a figura mitológica, o Programa Kairós pretende, através de seu olhar humanista, oferecer oportunidades não só sobre aos indivíduos que integram a SP Escola de Teatro hoje, mas, também, sobre os que a integrarão em algum momento.

 

Entre as principais finalidades do Programa Kairós constam as concessão de bolsas-auxílio, aqui chamadas de Bolsa-Oportunidade, concedidas à metade dos 400 aprendizes matriculados nos Cursos Regulares da SP Escola de Teatro, no valor de R$ 545,00 mensais.

 

Segundo Cléo De Páris, coordenadora do Programa Kairós, a Bolsa-Oportunidade propicia a permanência ininterrupta dos aprendizes na Escola e valida o processo de aprendizagem e inclusão cultural. “Buscamos a formação de artistas/cidadãos com consciência reflexiva e, ao mesmo tempo, profissionais qualificados no campo teatral. Dessa maneira, o acesso à atividade teatral não se dá de forma assistencialista: ele é fundamentado no potencial criador de qualquer ser humano”, comenta.

 

Cléo elucida, ainda, que o projeto não atende somente aos bolsistas e, sim, a todos os aprendizes matriculados nos Cursos Regulares da Escola e que além de conceder as Bolsas-Oportunidade, o Programa Kairós tem, ainda, por finalidade promover intercâmbios pedagógicos e ou culturais, além de viabilizar a participação de aprendizes dos Cursos Regulares e corpo docente da Escola em congressos, seminários, palestras ou debates nacionais e internacionais.