Laura Cardoso conta 92 anos de vida dedicada à arte no Camarim em Cena

Publicado em: 10/08/2020

Aos 92 anos de idade, a grande atriz Laura Cardoso tem sua história de vida contada por ela mesma no programa Camarim em Cena, do Itaú Cultural, disponível no YouTube.

Com mais de 75 anos de carreira no teatro, cinema, rádio e televisão, ela lembra como foi seu caminho artístico até aqui.

A atriz revela que desde menina tinha a veia artística ressaltada.

“Eu tinha uma vontade imensa de me mostrar, de fazer, de representar desde criança”, conta.

“Eu brincava na calçada com uma amiga e a gente representava duas pessoas esperando o bonde. Quando ele passava, a gente subia e descia rapidinho”, diz.

Com tanta desenvoltura, aos 15 anos, ela foi contratada na Rádio Cosmos, em São Paulo.

Filha de imigrantes portugueses nascida em 1927 no bairro do Bixiga, em São Paulo, ela recorda como a garota Laurinda de Jesus Cardoso se transformou em Laura Cardoso – o nome foi sugestão de um amigo radialista que não percebia apelo artístico em seu nome de registro – e como a carreira iniciada tão cedo a fez acompanhar a evolução dos meios de comunicação no Brasil.

A atriz declara seu amor ao ofício: “Amo representar, amo ler a peça de teatro, amo estar me mostrando para o público. Acho que gostei de tudo o que fiz”, conclui.

Em 2017, Laura Cardoso foi a homenageada da 33ª edição da série de exposições Ocupação, do Itaú Cultural, que naquele ano dedicou todas elas ao trabalho de mulheres essenciais para a arte e para a cultura brasileiras.

A mostra física realizada na sede da instituição, em São Paulo, também deixou como legado um hotsite que se aprofunda nos trabalhos realizados pela atriz, acessível neste link.


CULTURA EM CASA

Assim como outros equipamentos, a SP Escola de Teatro criou uma programação especial na internet para oferecer ao seus seguidores. Assim, está disponível uma série de conteúdos multimídia, como vídeos de espetáculos e de palestras e bate-papos de nomes como as atrizes Fernanda Montenegro, Nathalia Timberg e Denise Fraga, a monja Coen, a escritora Adélia Prado e o pastor Henrique Vieira, além de cursos gratuitos a distância.

O acervo ainda inclui filmes produzidos pela Escola Livre de Audiovisual (ELA) – iniciativa da Associação dos Artistas Amigos da Praça (Adaap), gestora da SP Escola de Teatro – em parceria com instituições internacionais, com a Universidade das Artes de Estocolmo (Suécia).




Relacionadas:

Notícias | 21/ 01/ 2022

Agenda Cultural : As melhores dicas para o seu fim de semana

SAIBA MAIS

Notícias | 21/ 01/ 2022

Estudantes de humor da SP mergulham em curiosa e divertida experiência cênica audiovisual; confira!

SAIBA MAIS

Notícias | 21/ 01/ 2022

No mês da visibilidade trans, Coletiva Profanas, com o apoio do Satyros, promove espetáculo de transdramaturgia na casa de cultura do Butantã

SAIBA MAIS