EN | ES

Kil Abreu Ministra Curso de Difusão Cultural

Publicado em: 10/02/2011

“Formas do Realismo e Emergência da Performance na Cena Contemporânea”, ministrado pelo jornalista Kil Abreu, é um dos destaques na programação dos cursos de Difusão Cultural da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco.

 

Delimitar as relações entre teatro e realidade sob os pontos de vista histórico e estético é o objetivo do curso, que se divide em dois módulos e traz um panorama do Realismo às intervenções sobre “o real” na cena contemporânea, além de questões de estética como imitação/Realismo e abstração.

 

O primeiro módulo intitulado “Realismo” busca estabelecer uma análise crítica sobre o teatro atual brasileiro no que se refere à cena realista e a realidade nas fronteiras da performance. “Eu costumo trabalhar com poucas teorias. Para mim, o fundamental deve ser o interesse vivo da turma de participantes pela realidade”, revela Abreu.

 

Durante o curso, o jornalista pretende cruzar seu olhar e repertório com os olhares da turma, para, na sequência, tatear em busca de teorias que ajudem a compreender a cena. “O caminho é o do olhar sobre o real na direção da teoria, e não o contrário. Se não corremos o risco (como ocorre na maioria dos processos de formação) de tentar fazer a realidade caber dentro das teorias, o que é péssimo, porque isto é um procedimento que tende a falsear as coisas, para que elas caibam onde o pensamento já está formulado”, explica o jornalista.

 

Na opinião do jornalista, há uma tradição e um conhecimento já formulados e que são bases importantes, porém o curso será apoiado na reflexão, que tem como tarefa fundamental construir conhecimento sobre o teatro e não encaixá-lo nos escaninhos que já estão prontos.

 

De um modo geral, Abreu entende que estes encontros servem mais à crítica sobre o fazer teatral que à informação. “Minha ideia não é informar sobre os temas, mas tentar oportunizar um lugar de reflexão mais vertical sobre eles. Isto será importante na medida em que cada participante puder se empenhar com o seu próprio repertório e suas questões. O aproveitamento depende também deste empenho”, revela o jornalista.

 

“Os estudos podem ser mais produtivos quando se cria um espaço para um encontro vivo em que as questões pautadas pelo curso possam encontrar lugar no sentimento e na prática dos participantes. Uma aula deveria ser isto: o fomento que o mestre deve fazer à autonomia de pensamento do aluno”, conclui Abreu.

 

Abreu é pós-graduado em Artes, pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), foi curador dos festivais de teatro de Curitiba e Recife, além de crítico do jornal Folha de S. Paulo, diretor do Departamento de Teatros da Secretaria Municipal de Cultura/SP e coordenador de projetos como o Programa Municipal de Fomento ao Teatro (Lei do Fomento) e Formação de Público. Como consultor, prestou assessorias a Petrobrás, Instituto Itaú Cultural, Sesc e secretarias de cultura de vários Estados. Tem artigos e ensaios publicados nos jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo, e nas revistas Bravo!, Cult, Cultura/Vozes, Folhetim, Sala Preta e Subtexto.

 

Para se inscrever no curso, basta acessar o link e preencher a ficha com seus dados até as 18 h, do dia 18/02. O curso é destinado a maiores de 18 anos e será realizado às quartas-feiras, das 19h às 22h, com início do primeiro módulo em 16/03 e término em 04/05.