EN | ES

Intercâmbios Culturais

Publicado em: 29/06/2011

Verdadeiramente preocupada com a formação de repertório cultural e técnico e a constante atualização da formação artística de seus aprendizes e de seu corpo docente, a SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco viabiliza intercâmbios culturais e parcerias com outras instituições de ensino.

 

Desde o início de suas atividades, a SP Escola de Teatro firmou parceria com o Centro Cultural de Espanha (CCE), em São Paulo, e traz professores e profissionais, hispânicos e latinos, e que atuam em cursos pertinentes às artes teatrais, para lecionar na Instituição. Em seu primeiro ano de atuação, a Escola ofereceu, como fruto dessa parceria, quatro cursos de Difusão Cultural.

 

“As Melhores Canções de Nossas Vidas”, com o autor, diretor e encenador de teatro espanhol Guillermo Heras foi o primeiro deles. 

 Realizado no primeiro semestre de 2010, o objetivo do curso era construir jogos de improvisação com base nas músicas que marcaram a memória emotiva de cada participante, para, então, converter a criação individual em material cênico ficcional, utilizando elementos que compõem o espaço cênico como luz, dramaturgia, diálogo, adereços e cenografia.

 

Licenciado na Real Escuela Superior de Arte Dramática de Madrid, Guillermo Heras Toledo foi diretor de cena de mais de 70 espetáculos de teatro, dança e ópera e diretor do Centro Nacional de Nuevas Tendencias Escénicas, da Mostra de Teatro Espanhol de autores contemporâneos e do Programa Iberescena. Recebeu prêmios como o Nacional de Teatro, de 1994, e o Garcia Lorca de Teatro Iberoamericano.


 

Na mesma época, participantes dos cursos de Difusão Cultural puderam realizar um curso intensivo com Carlos Céldran, diretor da Companhia Cubana Argos Teatro, propiciado pela parceria da Escola com o CCE e, também, com Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento. O curso, teórico e prático, buscava participação interativa de todos os alunos em busca do desenvolvimento e da investigação dos princípios da direção de um texto com atores.

 

Graduado em teatrologia e dramaturgia pelo Instituto Superior de Arte de La Habana, Carlos Céldran, é professor de atuação e direção da mesma instituição e recebeu dez prêmios, entre eles, o Caricato e o Gran Premio, no Festival Nacional de Teatro de Camagüey.

 

Já no segundo semestre de 2010, participantes dos cursos de Difusão Cultural puderam entender mais sobre o teatro documental com “Teatro de Família”, ministrado por Vivi Tellas, uma das mais reconhecidas diretoras do gênero experimental da Argentina.

 

Envolver a família no processo de montagem de uma peça de teatro e, no final, fazer dos familiares os intérpretes do espetáculo foi a proposta do curso. Em seu campo de trabalho, Vivi Tellas, busca a teatralidade fora da caixa cênica e extrapola a vivência para outras áreas da cultura. Assim, trabalha a criação teatral baseada em relatos verdadeiros com a história das famílias sendo tratadas como vértice especificamente teatral. 

 

Refletir sobre a importância do uso da máscara no teatro como provocadora de emoções foi objetivo do Workshop “Yo Mono Libre”, ministrado por Ricardo Joven, ator que integra o grupo espanhol Teatre del Temple. O curso, também fruto da parceria com o CCE, buscou uma aproximação com o processo de criação do espetáculo homônimo, versão de Ricardo Joven para o texto “Comunicação a uma Academia”, de Franz Kafka, utilizando técnicas de interpretação, como elaboração de maquiagem e caracterização, desenvolvimento de composição corporal, utilização da gestualidade zoomorfa e cacofonias. Além disso, o curso propôs a análise do processo emocional e sua adequação ao uso da máscara a serviço da narrativa cênica.

 

Projetos Futuros

 

Para 2011, a parceria entre a Escola e o CCE foi renovada com o III Encontro de Escolas Técnicas do Espetáculo ao Vivo, um seminário sobre Escolas Técnicas de Teatro, com a co-realização do Centro de Tecnologia do Espectáculo de Madrid, na Espanha. Esta parceria abrange também, a Agência Espanhola de Cooperação Internacional, o Centro de Tecnologia do Espetáculo – Instituto Nacional de Artes Cênicas e da Musica, e o Ministério da Cultura da Espanha. 

 

O encontro, previsto para outubro, será dirigido, exclusivamente, a professores e responsáveis de escolas ou centros de formação com atividades relacionadas com a formação de técnicos do espetáculo como caracterização, construção de cenários, iluminação, maquinaria cênica, produção e gestão, contrarregra e vestuário.

 

Corpo Docente em Curso na Espanha

 

Em abril de 2010, o coordenador do Curso de Cenografia e Figurino, José Carlos Serroni, e a formadora do Curso de Iluminação, Grissel Piguillem, foram aprovados pela banca examinadora do Edital: “Ayudas para la Cooperación Cultural con Iberoamérica “, lançado pelo Ministério da Cultura da Espanha. 

 

Grissel foi selecionada para cursar “Taller de Didáctica de lãs Técnicas del Espectáculo en Vivo”, e recebeu uma bolsa-auxílio do Ministério da Espanha no valor de €1.225. Serroni, selecionado para o curso “Taller de Diseño e Técnicas de Espectáculo en Vivo”, também recebeu uma bolsa-auxílio.

 

Da América Latina para a Suécia

 

Por sua inovadora proposta pedagógica, a SP Escola de Teatro foi procurada, em novembro de 2009, pelo corpo docente da Teaterhögskolan Stockholm Academy of Dramatic Arts (Escola de Teatro e Cinema de Estocolmo), na Suécia. A possibilidade de uma parceria de intercâmbio, na qual as atividades realizadas com recursos do Governo da Suécia está em negociação. 

 

Essas são só algumas das parcerias que a SP Escola de Teatro busca em prol de ampliar e disseminar conhecimento aos seus aprendizes e corpo docente. Conheça aqui, a história de Fernando Azambuja e veja as aventuras dos aprendizes na Quadrienal de Praga.

 

Foto capa: Cena de Teatro de Família (ministrado por Vivi Tellas)