Ilú Obá De Min dá aulas sobre corpo e ancestralidade aos estudantes de Humor

Publicado em: 08/10/2019

Corpo e ancestralidade são temas de uma oficina que Adriana Aragão, Beth Beli e Mafalda Pequenino, integrantes do Ilú Obá De Min, têm dado aos estudantes do curso profissionalizante de Humor. O batuque dos tambores, as expressões corporais, a ritualidade e a mitologia dos orixás fazem parte dos encontros semanais.

Nas aulas essencialmente práticas, as orientadoras convidadas falam sobre suas experiências à frente do bloco, contam as histórias da tradição afro-brasileira e ensinam movimentos de dança e corpo presentes nos cortejos o Ilú aos atores e atrizes.   ⠀

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Amigos da Praça (@escoladeteatro) em

As “mãos femininas que tocam tambor para Xangô”, que é o significado do nome do bloco em iorubá, o Ilú foi fundado em 2004 e se baseia no resgate da tradição da cultura negra e das influências africanas na identidade brasileira — como o candomblé, o jongo, o maracatu e a ciranda. Elas desfilam todo ano pelas ruas do centro da capital. ⠀

Relacionadas:

Notícias | 20/ 02/ 2020

SP Escola de Teatro anuncia vencedores do Prêmio Solano Trindade para jovens dramaturgos negros do país

SAIBA MAIS

Notícias | 18/ 02/ 2020

SP Escola de Teatro suspende atividades durante o Carnaval

SAIBA MAIS

Notícias | 15/ 02/ 2020

Estudantes do curso técnico participam de mesas de discussões sobre teatro e amor

SAIBA MAIS

 

O site da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco está sob licença Creative Commons. A cópia e a reprodução de seu conteúdo são autorizadas para uso não-comercial, desde que citado o devido crédito ao site, aos autores e fotógrafos. Não estão incluídas nessa licença obras de terceiros.

Para reprodução com outros fins, entre em contato com a Escola.

Assisdesign