Histórias de Pescador

Publicado em: 29/03/2010

Durante o Território Cultural de sábado (27/3), que coincidiu com o Dia Mundial do Teatro, após a palestra com Marisa Orth, outra surpresa estava reservada aos aprendizes da SP Escola de Teatro.

 

Os 200 alunos dos Cursos Regulares foram convidados para uma pescaria, nos moldes das que são realizadas em festas juninas. A prenda? Uma galharufa – espécie de apadrinhamento em que um artista mais experiente oferece um amuleto a um novato.

Para preparar a surpresa, a equipe da SP Escola de Teatro convidou Cristina Simões, que confeccionou 200 pequenos amuletos para representar as galharufas.

Para abençoar as galharufas, 200 artistas responderam ao convite da SP Escola de Teatro e escreveram mensagens que foram entregues junto com os amuletos.

 As reações dos aprendizes variaram entre a euforia e a emoção. Entre lágrimas e soluços, Geraldo Alves, aprendiz de Dramaturgia, declarou que é fã incondicional da atriz Laura Cardoso, de quem recebeu a galharufa. 

“Meu dia tinha começado estranho, esse presente retomou a magia do dia. Sou fã desta grande dama do teatro.”

 A empolgação de Juliana Calderón, aprendiz de Humor, que pescou a galharufa de Irene Ravache, era visível. “Achei muito legal a ideia de celebrar o Dia Mundial do Teatro com a Marisa Orth. Foi uma conversa muito gostosa. E o presente, levar pra casa uma mensagem pessoal de um artista, foi uma inspiração.”

 Quem não conhecia o significado de galharufa, como Raquel Gandolfi, gostou de descobrir. “Fiquei feliz em conhecer o significado da palavra de maneira tão divertida”, revelou ela enquanto exibia a galharufa que recebeu de Edson Celulari.

 

A convidada do dia, Marisa Orth, também participou da brincadeira. Sua mensagem veio acompanhada de uma foto sua rabiscada com chifrinhos e bigodinho. Laura Mello, aprendiz de Sonoplastia, foi quem pescou esta galharufa.  “Foi perfeita a mensagem dela, traduziu o que conhecemos da atriz hoje.”

 

Mahara Polido, aprendiz de Humor, que pescou a galharufa de Denise Fraga não cabia em si de contentamento. “Uma simples mensagem que abre muitos caminhos, vou levar esse presente para a vida toda”, comentou. 

 

“Mais uma vez a Escola mostra o quanto cada um de nós é tratado como indivíduo e isso significa muito”, arrematou Felipe Calçada, aprendiz de Atuação, enquanto admirava a galharufa  recebida de Jô Soares.


Fotos: Bob Sousa
SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco | 29/03/2010