Extensão começa com Multimídia, Teatro de Animação e Canto

Publicado em: 26/02/2013

A maratona de cursos oferecidos pelo setor de Extensão Cultural da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco começou. Ontem (24), a Sede Roosevelt da Instituição sediou as aulas de três deles: “Multimídia Interativa com Pure Data”, orientado por Alexandre Torres Porres; “Teatro de Animação”, com Lilian Guerra, e “Canto e Impostação Vocal para a Cena Teatral – Introdução à Preparação para Musicais”, com Fernando Grecco e o pianista Breno Ruiz.

 

Logo pela manhã, às 10h, Pontes, que é Doutor em Sonologia/Computação Musical pela USP e Mestre em Composição pela Unicamp, deu início ao estudo sobre processos interativos no palco e convergência de elementos multimídia. 

 

Na aula, ele apresentou o Pure Data (ou PD), ambiente de programação visual distribuído como software livre, que hoje é amplamente utilizado em instalações, performances e espetáculos audiovisuais/multimídia interativas em tempo real. Assim, acompanhou os participantes em uma explanação sobre algumas das principais características e ferramentas do programa.

 

“Apesar do caráter técnico, o principal objetivo do curso é apresentar e discutir diversas possibilidades artísticas, sendo a parte computacional e de programação apenas uma fonte de ferramentas de produção e implementação”, afirmou o orientador.

 

Ao término do encontro, o participante Caleb Mascarenhas estava satisfeito com o conteúdo do curso e com a didática do orientador. “Gostei bastante. Trabalho com arte e tecnologia. Até já estudei um pouco o Pure Data. Também ministro alguns cursos nesta área e conhecia o trabalho do Alexandre”, comentou.

 

Já à tarde, a atriz, diretora, dramaturga, produtora e pesquisadora Lilian Guerra ministrou a aula inaugural de “Teatro de Animação”. Para recepcionar seus pupilos, ela dedicou boa parte do tempo apresentando cada um dos participantes que selecionou para o curso, explicando seus critérios e ouvindo-os falar um pouco sobre suas trajetórias. “Gostaria, se fosse possível, que todos os inscritos estivessem aqui. Dou aulas há cerca de 30 anos e, nesse tempo, aprendi que todos temos capacidade de aprender”.

 

O curso, segundo ela, tem o objetivo de, além de apresentar os principais gêneros do teatro de animação (como máscara, boneco, objetos e formas animadas) e um panorama histórico do gênero, “trabalhar níveis de comunicação com o espectador por meio do jogo cênico entre ator, boneco e o narrador e propiciar a experimentação das potencialidades e recursos estéticos das técnicas mostradas”.

 

Margareth de Oliveira Abreu é uma das participantes do curso. “Trabalho com montagem de máscaras africanas. Estou curiosa e à procura de novas descobertas nessa área”, observa.

 

À noite, foi a vez de a voz tomar conta do 1º andar da Sede Roosevelt da Escola. Lá, um grupo de pouco mais de 30 pessoas, selecionadas de um universo de 290 inscritos, ouvia, atentamente, a explanação do regente Fernando Grecco sobre o que esperar das aulas de “Canto e Impostação Vocal para a Cena Teatral – Introdução à Preparação para Musicais”.

 

“Canto é ginástica. Assim como a gente exercita um músculo para desenvolvê-lo, é preciso trabalhar os músculos necessários para se ter um bom som. É imprescindível exercitar-se com constância e aplicação”, observou Grecco. 

 

Acompanhado pelo pianista Breno Ruiz, ele falou, cheio de humor, sobre a proposta do curso. Entre uma observação e outra, citava trechos de musicais famosos, como “Hair”. “Aqui, quero que vocês pensem ‘Hair’. Estamos juntos, ninguém precisa ficar estressado. Quero todo mundo relaxado, agindo com colaboração, ética, cumplicidade e que aprendam a levar isso para outros trabalhos, dos quais venham a participar no futuro”, disse o professor, lembrando que, ao final do curso, será montado o espetáculo “Liberdade, Liberdade”, de Millôr Fernandes e Flávio Rangel. “Ninguém precisa ficar achando que terá de brigar pelo papel de astro da montagem. Todos terão participações com pesos mais ou menos iguais. A apresentação será numa das salas da Escola, que, aliás, têm uma acústica maravilhosa”, elogiou.

 

Por aqui, ficaremos na expectativa para ver o resultado do trabalho dessa turma…

 

 

Texto: Felipe Del e Majô Levenstein