Economia Cultural em pauta

Publicado em: 28/04/2010

Você já parou para pensar em como um gestor cultural alimenta o sistema de direito autoral? Refletiu sobre o papel estratégico da cultura no país, que gera inúmeros bens imateriais?
Foi com essas questões em pauta que Luís Carlos Prestes Filho, vice-presidente da Associação Brasileira de Gestão Cultural (ABGC), articulou sua palestra para alunos do Curso de Difusão Cultural “Gestão de Projetos Cênicos” na noite de segunda, 26 de abril, na SP Escola de Teatro.
Durante a palestra, Luis Carlos refletiu sobre densos temas como gestão de direitos autorais, impostos, tributos e planejamento estratégico nacional da cultura, baseado em sua experiência de trabalho na ABGC somada a fragmentos de seus livros, “Cadeia Produtiva da Economia do Carnaval” e  “Cadeia Produtiva da Economia da Música”, ambos editadas em 2004, pelo Instituto Gênesis-PUC/RJ.
Segundo Ana Paula, aluna do Curso de Difusão e pesquisadora em pós-graduação em Gestão de Projetos Culturais e Organização de Eventos no CELACC-USP (ECA), a palestra foi esclarecedora. “Existe um sistema econômico onde é possível se sustentar de outras formas, além de editais públicos e privados. Nós devemos trabalhar para mudar essa difícil situação de captação de recursos para bens culturais e criar a sustentabilidade para todas as artes no Brasil”, afirma.
Idealizado por Ana Paula Galvão, formadora do Curso de Difusão Cultural “Gestão de Projetos Cênicos” essa é a primeira palestra de mais três, nas quais profissionais que atuam no mercado de cultura, são convidados para discutir seu trabalho com os alunos do Curso.
A próxima palestra será no dia 24 de maio com Marcelo Gonzalez, diretor técnico do Teatro Abril e do T4F – Time For Fun.
Texto e Fotos: Renata Forato
 | SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco | 28/04/2010