É Pique! É Pique!

Publicado em: 16/12/2010

Josiane Silva de Souza, aprendiz do curso de Humor da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, passou inúmeras tardes, após suas aulas, sentada no corredor da Escola, entre tralhas de festas infantis e doces para fazer uma instalação sobre os fatos que marcaram sua infância.
 

Josy, como é conhecida, preparava uma festa surpresa para seus colegas e, enquanto arrumava balas em saquinhos, que serviriam de lembrança, recordava abruptamente de cada detalhe e chamava seus amigos, David de Souza e Isadora Ribeiro, aprendizes do curso de Iluminação, para enfrentar mais uma maratona de compras.
 

Depois dessa preparação, finalmente chegou o dia da grande festa. Assim, bexigas, chapeuzinhos de aniversário, fitas coloridas, pipocas, paçoca, suspiro, balas de goma, pirulitos e brigadeiros encheram, hoje (16), de cor e sabor a comemoração de vida dessa aprendiz, que, sempre auxiliada pelos amigos, enfrentou o desafio proposto por Bete Dorgam, formadora do curso de Humor, e mergulhou em suas mais profundas memórias da infância.
 

Iza Barbara, aprendiz de Iluminação, acordou às 6 horas da manhã para ajudar Josy nesse projeto. Fez de tudo um pouco na decoração da festa e ainda encheu dezenas de balões em formato de coração para ajudar a colega. “Acordei cedo, como nunca faço, pois sei que quem tem amigos tem tudo e adoramos a Josy”, revela.
 

Julia Vasconcelos, aprendiz de Dramaturgia, também doou seu tempo para Josy e preparou o personagem principal dessa festa: o bolo recheado com fartas camadas de brigadeiro. Julia, que é conhecida como Juba, ainda ajudou na iluminação, e, a cada lâmpada que conseguia acender, vibrava de alegria enquanto espalhava luz pelo ambiente da festa.
 

Valia tudo, mas o que importava era a imaginação e a improvisação. Assim, Josy foi a fundo na pesquisa e vasculhou os armários da família em busca de objetos simbólicos de sua infância. A sorte é que tudo estava guardado: roupas de sua infância, suas bonecas e ursos de pelúcia, fotos e mais fotos e até o prato que ela utilizava para comer merenda na escola. “Eu trazia tudo aos poucos de Ribeirão Preto, minha terra natal, vivia cheia de sacolas a mais nas minhas viagens”, revela.
 

“Foi muito lindo, fiquei feliz quando percebi que as pessoas que visitaram a minha instalação se emocionaram com as lembranças da infância”, conta Josy, que, mesmo na hora de arrumar a bagunça da festa, ainda mantém seu sorriso largo e seu olhar atento e brilhante.
 

Confira as fotos