De Olho nos Programas de Fomento às Artes

Publicado em: 21/07/2011

O presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Antonio Grassi, anunciou, nesta segunda-feira (18/07), os programas de fomento às artes em 2011, nos quais serão investidos mais de R$ 100 milhões em projetos nas áreas de teatro, dança, circo, música, artes visuais e de integração entre as artes.

 

O Prêmio Myriam Muniz, uma das principais ações de estímulo à produção teatral no País, está previsto para ser lançado em agosto e com orçamento quase 50% maior que o do ano passado. Também estão programadas a retomada do projeto Mambembão, de estímulo à circulação de espetáculos; a reabertura do Teatro Dulcina; e a estreia sul-americana do espetáculo “Uma Flauta Mágica”, de Peter Brook.

 

Grassi marcou para outubro a abertura da 19ª Bienal de Música Contemporânea Brasileira, considerada a mais importante mostra de música erudita do País, e anunciou, ainda, as novas edições do Prêmio Klauss Vianna de Dança e do Prêmio Carequinha de Estímulo ao Circo, cada um com investimento de R$ 4,5 milhões; e do Programa Rede Nacional de Artes Visuais, que contará com R$ 1,9 milhão. 

 

Com o objetivo de descentralizar a política de fomento, o programa Microprojetos Mais Cultura Rio São Francisco concederá prêmios de R$ 15 mil para que pequenos produtores possam viabilizar seus projetos, com um investimento total de R$ 16,2 milhões.

 

Outra novidade é a digitalização do acervo Walter Pinto, um dos maiores empresários do Teatro de Revista, e que será também transformado em livro. A ação faz parte do projeto Brasil Memória das Artes, que conta com patrocínio, no valor de R$ 1 milhão, da Petrobrás. 

 

No fim de agosto, deverão ser divulgados os resultados dos Prêmios ProCultura, com investimentos de R$ 48 milhões nas áreas de teatro, dança, circo, artes visuais e música. E, ainda no mês de julho, começa o processo de seleção de projetos para a ocupação de 19 espaços culturais da Funarte.