Curso de Canto e Impostação Vocal Abre Segundo Módulo

Publicado em: 03/05/2013

Na última semana, a Sede Roosevelt da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco sediou uma noite de poesia e exaltação à liberdade. Essa celebração veio com o espetáculo de encerramento do curso de Extensão Cultural “Canto e Impostação Vocal para a Cena Teatral – Introdução à Preparação para Musicais”, ministrado por Fernando Grecco e com o pianista Breno Ruiz.

 

Bem-sucedido, o curso ganha, agora, um segundo módulo, para dar continuidade aos estudos iniciados no primeiro. O objetivo mais amplo é despertar e desenvolver o gosto pela música por meio de uma atividade prática, contribuindo, em última instância, para uma formação global dos indivíduos. 

 

Aperfeiçoar as qualidades dos participantes, de modo a criar condições para um desempenho de qualidade do repertório musical proposto para o espetáculo final também faz parte dos objetivos das aulas, que serão ministradas de 27 de maio a 17 de julho, de segunda e quarta-feira, das 19h às 22h, na Sede Roosevelt da Instituição.

 

A seleção, que dará preferência a pessoas que já fizeram o módulo I e que tenham experiência em canto e interpretação teatral, será feita em duas etapas: análise de currículo e audição, na qual o candidato deverá cantar uma canção popular ou erudita, de sua escolha, à capela. 

 

As inscrições vão de hoje (3) até 14 de maio, e devem ser feitas aqui. Os nomes dos selecionados para a audição serão divulgados no dia 15, por e-mail. 

 

Sobre o Orientador

Fernando Grecco é jornalista e regente graduado pela USP, além de formado em teatro pelo Teatro-Escola Macunaíma. Como ator, participou das montagens “A Invasão”, de Dias Gomes; “Estado de Sítio”, de Albert Camus; “Ubu Rei”, de Alfred Jarry; “Belinda e a Guerra das Quengas”, baseado em “Lisístrata”, de Aristófanes; “A Linguagem das Flores”, de García Lorca; “Os Pecados de Moliére”, adaptação de “O Avarento”, de Molière, e “Ragnarock! – A Epopeia Humana”, musical de sua própria autoria. 

 

Como diretor de cena, trabalhou nas montagens das óperas “Ácis e Galatea”, “Os Peregrinos de Meka”, “O Elixir do Amor” e “A Campainha”. Dirigiu também os espetáculos “O Canto das Águas”, “O Coro dos Contrários” e “Um Conto de Natal”. Paralelamente, desenvolve trabalho como cantor, atuando como solista em várias obras de concerto, além das óperas “Orfeu”, “The Indian Queen”, “As Bodas de Fígaro”, “O Empresário”, “Salomé”, entre outras. De 1992 a 2011, foi cantor do Coral Paulistano do Teatro Municipal de São Paulo. Em 2012, venceu o prêmio da Secretaria da Cultura de São Paulo para gravação de disco inédito e circulação de espetáculo de música com o projeto “Obi – Somos Todos Negros”.

 

 

Texto: Felipe Del