Contribuição Para a Formação

Publicado em: 14/03/2011

Perguntas, esclarecimentos e sorrisos marcaram a palestra do dramaturgo Samir Yazbec para os aprendizes do Módulo Verde do curso de Dramaturgia da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco.
 

Promovido pela coordenadora do curso, Marici Salomão, o evento, realizado na última quinta-feira (10/03), teve como intuito trazer aos aprendizes histórias e experiências do dramaturgo, além de mostrar-lhes os desafios que, porventura, eles irão enfrentar na profissão.
 

Yazbec, que consolidou sua formação com o diretor Antunes Filho, no Centro de Pesquisas Teatrais (CPT do Sesc), escreveu peças como “O Fingidor” e “As Folhas de Cedro”. Por sinal, a proposta era que os aprendizes lessem os textos de suas obras para que, a partir daí, se entabulasse o bate-papo.
 

Primeiro convidado do curso neste semestre, o dramaturgo deu dicas, recordou fatos ocorridos em sua trajetória e contou, de forma metafórica, como é seu processo de criação. “Eu costumo trabalhar com lampejos, porém, espero chegar ao curto-circuito. Depois disso, é que surgem as ideias”, diz Yazbec.
 

Partindo do pressuposto de que é necessário se ter algo em mente antes de sair escrevendo qualquer coisa, o também diretor é enfático. “Deve-se ter alguma coisa para dizer. Não é entrar no mérito se está certo ou errado, mas é preciso que se pense, geralmente, numa história em que você tenha vivido, transformando a experiência pessoal em algo universal.”
 

No meio da palestra, questionado sobre a relação com as críticas, Yazbec aconselhou os futuros profissionais da dramaturgia. “Se importem com o público. Nada supera a adesão dele.”
 

Ao analisar a importância de palestras como essa, o aprendiz Leandro Doregon se diz satisfeito. “Acho fundamental, pois ouvir um dramaturgo falar do processo de desenvolvimento do texto faz com que nos identifiquemos. Passamos, então a entender com mais profundidade.”
 

Pensando no futuro, o aprendiz conclui. “Quero me definir como dramaturgo, preciso me descobrir e me apresentar. Quero ser consciente da minha profissão.”