Consciência Negra: Escola recebe peças que discutem raça, gênero e classe social

Publicado em: 19/11/2018

‘Rés’, da Corpórea Companhia de Corpos, discute o encarceramento de mulheres negras no Brasil. Foto: Gal Opido/Divulgação

Em novembro, mês da Consciência Negra, a SP Escola de Teatro recebe uma programação especial com espetáculos que discutem questões ligadas a raça, gênero e classe social.

CÁRCERE

No dia 28, a Corpórea Companhia de Corpos apresenta “Rés”, às 21h, em sessão única na sede Roosevelt. O trabalho propõe uma reflexão sobre o encarceramento de mulheres negras no Brasil e violência física e psicológica à qual elas estão submetidas. Os ingressos para a apresentação são vendidos no sistema pague quanto puder.

Dirigida por Verônica Santos, que divide a cena com Débora Marçal e Malu Avelar, “Rés” é a primeira parte de uma trilogia em que a companhia investiga o lugar do corpo negro nas artes cênicas (a sequência foi contemplada recentemente no edital Rumos Itaú).

Embora o título do espetáculo sugira uma associação direta à cadeia, a obra amplifica o olhar sobre a condição de prisão, em denúncia daquilo que um corpo negro feminino sente ao ser encarcerado. Não existem presidiárias em cena, mas corpos expostos à situação que representem os diversos tipos de encarceramento.

A apresentação de “Rés” na SP Escola de Teatro faz parte do evento Novembro Negro, criado pelo Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM).

ANCESTRALIDADE

Peça ‘Olha Oya’, da Emboa Companhia, recorre ao arquétipo de Iansã para conta a vida de mulheres ignoradas pela história. Foto: Divulgação

A partir do arquétipo do orixá Iansã – deusa guerreira e forte das religiões de matriz africana – “Olha Oya” estreia no dia 30 e segue em temporada até 17 de dezembro, também na sede Roosevelt. O espetáculo leva à cena, através da mitologia, relatos e histórias de mulheres que não estão representadas nos meios de comunicação de massa ou, quando estão, são retratadas majoritariamente como coadjuvantes subalternas e estereotipadas.

“Olha Oya” é uma criação coletiva da Emboa Companhia de Teatro. E no elenco estão as atrizes Cecília Bortoli, Inessa Silva, Letícia Oliveira e Marina Affarez. A montagem fica em cartaz às sextas, sábados e segundas, às 21h, e no domingo, às 19h. Os ingressos custam R$ 30 e 15 (meia-entrada).

Relacionadas:

Notícias | 20/ 11/ 2021

Agenda Cultural: as melhores dicas para seu fim de semana!

SAIBA MAIS

Notícias | 19/ 11/ 2021

Território Cultural: Miguel Arcanjo recebe atriz Katia Aracelle para falar teatro e o congado mineiro

SAIBA MAIS

Agenda | 20/ 03/ 2020

Diretor da SP Escola de Teatro, Ivam Cabral encena peça ao vivo no Instagram

SAIBA MAIS