Cineasta Guilherme Coelho Faz Teste de Elenco na Escola

Publicado em: 01/04/2013

O cineasta carioca Guilherme Coelho, diretor dos documentários “Fala Tu” e “PQD”, estará na SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco no dia 18 de abril (quinta-feira), em busca de três atores/atrizes para seu novo longa-metragem, a ser filmado no segundo semestre deste ano, na Amazônia.

 

O teste de elenco é para o filme “Órfãos do Eldorado”, baseado no livro homônimo de Milton Hatoum. O diretor procura artistas para interpretar as personagens Dinaura, Estiliano e Denísio Cão. Os currículos dos interessados devem ser enviados pelo e-mail orfaosdoeldorado@marcelaaltberg.com.br.

 

Na trama do longa, Arminto, um homem que está de volta à sua cidade de infância, apaixona-se por uma mulher esquiva, que todos dizem querer morar numa cidade submersa. Na procura por esse amor inalcançável, ele se desfaz do patrimônio de sua família e de sua razão, enquanto se aproxima do universo mítico amazônico, transformando sua própria vida em fábula e tragédia.

 

Coelho estudou Economia, Jornalismo e Teatro antes de migrar para a área audiovisual. Em 1999, produziu e dirigiu o documentário de média-metragem “São João em Caruaru”. Fez alguns trabalhos em vídeo antes de dirigir “Fala Tu” (2003), documentário de longa-metragem lançado no Festival do Rio 2003, que levou os prêmios de melhor direção e melhor documentário pelo júri popular, além de ser selecionado para festivais internacionais.

 

Em 2005, dirigiu o documentário “Fernando Lemos, Atrás da Imagem”. Fez a produção executiva de “Jogo de Cena” (2007), de Eduardo Coutinho, com quem voltou a trabalhar em 2009, no documentário “Moscou”. No Festival do Rio 2007, estreou o documentário “PQD”, que trata de jovens que servem em uma brigada paraquedista do exército.

 

 

O filme é uma adaptação do romance de Milton Hatoum

 

 

Veja, abaixo, as descrições das personagens que serão selecionadas:  

 

Dinaura

Figura modigliana-índia. Linda, magra, tez morena clara, rosto angular, olhar expressivo.

Sem vaidade, naturalmente bela. Personagem misteriosa, que se envolve com Arminto e depois desaparece. É como se o enfeitiçasse. Uma mulher que fascina pelo silêncio e mistério, e seduz Arminto por seu jeito fugidio, ao mesmo tempo que é capaz de ser de uma entrega absoluta. Torna-se o grande amor de Arminto, motivo de sua obsessão e estopim de seu enlouquecimento.

O seu poder feminino, representado pela nudez no igapó e sua dança num bar popular da cidade (um “breguinha”), dispara em Arminto um desejo de tê-la ao seu lado que ele não consegue controlar nem esquecer. Por vezes é mais menina, com uma beleza pura e natural, e por vezes mais provocante e sensual como, por exemplo, quando dança na cena do bar.

Dinaura é uma figura que vamos construindo muito pelo que dela ouvimos falar. É conhecida na cidade por ser uma mulher encantada, enfeitiçada por Jurupari, Deus do mal. Diz-se por aí que ela já revirou a cabeça de muita gente, inclusive a de Amando – todos acham que ela foi amante do pai de Arminto. O rapaz não tem essa informação, nem suspeita dela. No entanto, ao longo da trama vamos descobrir a possibilidade dela ser, na verdade, filha de Amando e, portanto, irmã de Arminto.

 

Estiliano

Homem levemente grisalho, de postura elegante. Está sempre muito bem vestido e bem tratado, boas maneiras.

Melhor amigo da vida inteira e fiel escudeiro de Amando, pai de Arminto. É advogado e responsável pela parte jurídica da Eldorado. Com o tempo e a proximidade afetiva, acaba também assumindo algumas funções administrativas. Com a morte de Amando, torna-se a pessoa que mais conhece sobre a empresa.

Amante de literatura e bons vinhos, tem um lado intelectual que atrai Arminto, algo que ele nunca encontrou no pai. No entanto, Arminto também tem dificuldades de se aproximar mais de Estiliano afetivamente, por projetar nele a figura paterna distante e temida. Além disso, Estiliano tem uma devoção por Amando que o irrita.

A relação dos dois vai se desgastando ao longo do filme, principalmente pela dificuldade de Arminto em assumir as questões da empresa após a morte de seu pai. Estiliano continua fazendo de tudo para que Arminto e a empresa fiquem bem. Além de ser uma forma de se manter fiel a Amando.

 

Denísio Cão

Olhos afiados, traz no rosto desconfiança e charme.

No desespero pelo desaparecimento de Dinaura, Arminto contrata Denísio Cão para o levar de barco em sua busca pela mulher desaparecida. O convívio entre os dois passa a ser intenso e desgastante pelas diversas tentativas sem sucesso ao longo da jornada. Denísio tem um jeito bem particular de lidar com Arminto, por vezes o apoia na sua obsessão, por vezes brinca com a sua incipiente loucura. Tem personalidade, humor e não ocupa uma postura de submissão em relação a Arminto. Pelo contrário, é alguém que o desafia ao longo deste percurso.

 

 

Texto: Felipe Del