EN | ES

Ciclo de Leituras Teatrais

Publicado em: 23/06/2011

O Grupo Manufactura Suspeita, idealizado pelo autor e diretor Maurício Paroni, promove uma rodada de leituras batizada de “Cinco Confissões Públicas”. O objetivo é trazer ao conhecimento do público questões comuns e ideológicas que foram extirpadas na época da repressão (Ditadura Militar). As apresentações serão realizadas entre 19 e 26 de julho, em vários locais públicos da cidade.

 

Paroni teve como endereço, por 15 anos, a cidade de Milão, Itália. Lá, se formou na Scuola D´Arte Drammatica “Picolo Teatro” (hoje “Paolo Grassi”) e foi professor residente de 1985 a 1999. Entre Itália, Reino Unido e Brasil, já dirigiu mais de 45 peças. É um dos responsáveis pelo roteiro do filme “Crime Delicado”, de Beto Brant, que recebeu os prêmios Fiesp do Cinema Paulista, Academia Brasileira de Letras, Miami Festival e Academia Brasileira de Cinema.

 

O projeto do ciclo de leituras surgiu no meio de 2002, quando o espetáculo “A Parca Norueguesa” teve foi apresentada no Parque da Água Branca. “Surpreendi-me com a recepção tão positiva do público por tratar-se de autores tão articulados e considerados ‘difíceis’, como Friedrich Nietszche e Adolfo Muller”, diz o diretor.

 

O período militar, para Paroni, empobreceu as questões intelectuais, o que provocou o afastamento de espectadores do teatro. Diante desse cenário, o grupo vem com a proposta de recuperar esse público, utilizando espaços alternativos, para, assim, se valer de uma linguagem mais simples. 

 

Com essa mudança de lugar, eles pretendem valorizar os espaços públicos, como edifícios e praças, atribuindo maior importância a estes. Outra ação do grupo é a inclusão de pessoas comuns no elenco ao lado de artistas reconhecidos internacionalmente.

 

“Cartas” é um dos textos do ciclo. A versão de Paroni é baseada na obra de Renato Gabrielli e Fernando Pessoa. A atriz Erika Forlim interpreta Ofélia Queiroz, mulher que tem uma sofrida relação amorosa com o poeta (Pessoa). No decorrer da história, surgem os heterônimos Álvaro de Campos e Ricardo Reis, que intercedem na relação do casal, transformando-a em uma obscura fantasia.

 

A atriz Helena Magno lê “A Secretária”, sobre uma cômica entrevista entre empregador e candidata.

 

A história de um patrício romano transformado em asno pela escrava é o enredo da terceira leitura: “O Asno de Ouro”, com Sylvia Soares e outros atores brasileiros e italianos.

 

Inspirado na obra do italiano Luigi Pirandello, “Vestir os Nus”, a montagem “Auto da Defunta Nua” mostra um striptease de uma personagem (Janine Correa) diante de seu autor.

 

“A Carne dos Arrogantes” é o último texto do ciclo de leituras. No monólogo, o ator Rodrigo Zappa interpreta um homem solitário que costuma navegar na internet. 

 

Fotos: Renata Forato