EN | ES

“Cerimônia Urbana” | A Cidade por trás da Cidade

Publicado em: 14/07/2011

“Cerimônia Urbana” | A Cidade por trás da Cidade

Por Raul Teixeira

 

Para encerrar o Módulo Azul, aprendizes de Sonoplastia da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, trabalharam, durante a Formação, em um projeto de performance sonora que intitulamos de  “Cerimônia Urbana” e foi desenvolvido por mim e pelos formadores Eugênio Lima, Wilson Sukorski e Martin Eikmeier.

 

“Cerimônia Urbana” é um cortejo sonoro que caminhará pelas ruas do Brás em direção ao pátio da SP Escola de Teatro, local onde será realizada uma festa comandada pelo formador e DJ Eugênio Lima e aprendizes de Sonoplastia. 

 

Acreditamos que, neste espaço de celebração, a sonoridade que habita o Brás será revelada nos mostrando os caminhos singulares deste entorno, que pode ser considerado a esquina do mundo, a original América onde a diversidade dos povos se funde.

 

Mas que sonoridade é essa? Que celebração acontece aqui? O que nos move?

 

Inicialmente com o estudo e apresentação do movimento Hip Hop, a proposta, discutida em aula por Eugênio Lima, buscou a voz e a identidade de um povo, morador de periferia, oprimido pela desigualdade.

 

A necessidade do encontro e da descoberta de um modo de serem ouvidos, percebidos, possibilitou o surgimento de novas expressões, manifestadas por meio da música, do grafite, da dança de rua, da canção e, consequentemente, da festa.

 

Com base nesta ocupação, o que queremos mostrar aos moradores e trabalhadores do Brás – bolivianos, nordestinos, coreanos, chineses, italianos e muitos outros – é que, neste caldeirão multicultural, diluído na massa sonora das máquinas de costura das fábricas de jeans, dos ruídos dos trens, ônibus, buzinas, igrejas, restaurantes e carros turbinados, existe um mundo muito especial de pequenas sonoridades e característico de um povo que deixou sua pátria para sobreviver na cidade cosmopolita e manter um pouco de suas raízes.

 

E se pararmos para ouvir com atenção, este mundo está presente e, acredito, é o que os mantém enraizados na sua cultura.

 

Percurso

 

O cortejo, que sairá do Largo da Concórdia a caminho da Escola, é uma performance sonora produzida por um hiperinstrumento e quatro estandartes construídos e tocados pelos aprendizes sob a batuta do maestro Wilson Sukorski.

 

O hiperinstrumento é uma estrutura móvel de 3m x 3m, inspirado na escultura sonora a “Árvore”, do músico e artista Walter Smetak, que  soará pelas ruas, em comunicação com o povo, mixando uma sonoridade de  microtons, sopros, tambores, circuit bendings e ruídos outros que se destacam do fundo já existente e comporá a música do entorno que queremos tocar.

 

Este cortejo encontrará o DJ Eugênio Lima e outros aprendizes no pátio da SP Escola de Teatro, onde acontecerá a mistura, a dança, a confraternização e a festa de encerramento do semestre, marcada para sábado (16/07).

 

Veja texto de Wilson Sukorski sobre o hiperinstrumento.