Casa lotada na abertura do FIT

Publicado em: 16/07/2010

Os cinco mil lugares disponíveis na arquibancada do anfiteatro da Represa Municipal de São José do Rio Preto não foram suficientes para abrigar o público do espetáculo “Antes”, com direção de Paulo de Moraes, montagem da companhia carioca Armazém, que abriu a décima edição do FIT – Festival Internacional de Teatro de Rio Preto.

 

Muitos espectadores ficaram em pé, sobre os bancos da praça ao lado do teatro, para conseguir enxergar um trecho do espetáculo apresentado a céu aberto. Como não havia mais nenhum espaço vago, muitas pessoas se amontoaram em frente à cabine de som para conferir a única sessão da peça, que foi concebida especialmente para a ocasião, a pedido dos organizadores do festival.

 

Escrito pelo diretor, em parceria com Maurício Arruda Mendonça, o texto retrata o encontro de pessoas comuns em um velho teatro abandonado que experimentam uma forma diferente de ver e entender o mundo, quando, perplexas, assistem às simulações de suas próprias vidas, em um universo entre o real e o imaginário.

 

Thales Coutinho, ator da Armazém Companhia de Teatro, ao conhecer as bases pedagógicas da SP Escola de Teatro, revelou que durante seus estudos na Casa das Artes de Laranjeira, CAL, “sentia a necessidade de as escolas de teatro voltarem sua atenção para a criação de grupos na formação em Artes Cênicas. Uma pedagogia do teatro. Não somente da atuação, mas também investindo nas áreas técnicas como iluminação, cenografia, sonoplastia etc.”

 

Os espetáculos “Marcha para Zenturo”, parceria da Cia. Espanca! e Grupo XIX de Teatro, de Minas Gerais, e “Otro”, do Coletivo Improviso, do Rio de Janeiro, são as duas estreias que marcam a grade de programação. Ao todo serão apresentados dez espetáculos no segundo dia do Festival, nesta sexta-feira, 16 de julho.