Caracterização e Maquiagem

Publicado em: 23/03/2011

Os blocos de desenhos e lápis coloridos dos aprendizes de Cenografia e Figurino da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco foram trocados por espelhos, brilhos, batons e blush, na última quarta-feira (16/03), em uma aula de caracterização e maquiagem, ministrada pela designer de aparência de atores e figurinista Adriana Vaz Ramos.
 

Adriana é Doutora e Mestre em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica (PUC/SP). Dedica-se há 31 anos a trabalhos e pesquisas de figurinos e maquiagens para teatro, dança, ópera, cinema, vídeo e fotografia. Entre outras premiações, recebeu, em 1997, o prêmio Coca-Cola de Teatro Jovem como melhor figurinista pela obra “O Pallacio Não Acorda”, da Cia. Nau de Ícaros.
 

No teatro, realizou, no Brasil e no exterior, cerca de 100 trabalhos ao lado de renomados profissionais. No cinema, participou como figurinista e maquiadora em longas e curtas-metragens de diretores como Ugo Giorgetti, Nilson Villas Boas, Eliane Caffé e Beto Brant, premiados no Festival de Gramado e em outros festivais internacionais. Destaque para sua participação no Festival de Ópera de Manaus, ao lado de Roger Waters, na obra “Ça Ira”, dirigida por Caetano Vilela.
 

Adriana conta que é uma novidade para ela dar aulas de maquiagem para figurinistas e ficou impressionada com a habilidade de desenho dos aprendizes. “Primeira vez na minha vida que leciono para figurinistas e foi um desafio para mim, pois, com eles, tenho que pensar em coisas diferentes e uma gama de técnicas mais ampla do que com atores. Afinal, quem escolhe seguir essa profissão, precisa avançar e se aprofundar amplamente nos tipos de materiais disponíveis para a caracterização”, revela.
 

“A maquiagem faz parte do nosso contexto” diz Issac Feitosa Vale, aprendiz de Cenografia e Figurino. “Esse tipo de aula é muito válida para entender a amplitude e poder da caracterização no palco”, conclui.