Arte e Cidade

Publicado em: 24/08/2010

Desde seu início, o Teatro da Vertigem emprega forte eixo investigativo e prima pela busca de um teatro construído de forma coletiva e democrática entre atores, dramaturgo e encenador. A pesquisa sobre os processos de interferência na percepção do espectador também é um elemento utilizado no percurso da companhia que se aproveita de espaços não convencionais da cidade para a criação de espetáculos com base no depoimento pessoal da comunidade, o que impulsiona o trabalho do grupo e mantêm seu repertório sempre ativo.

Desde o mês de maio, a companhia realiza um ciclo de palestras que integra o processo de pesquisa e criação para conceber um novo espetáculo com previsão de estreia para 2011, e que terá como pano de fundo o bairro do Bom Retiro. Dentro desse processo, já foram realizados diversos seminários que abordaram assuntos relacionados à região, como etnia e urbanismo.

“O Vertigem tem a pesquisa teórica como parte fundamental do seu processo de criação. A ideia em realizar seminários é a de adquirir aproximação do tema e aprofundamento das questões que serão discutidas no espetáculo”, afirma Guilherme Bonfanti, integrante do Teatro da Vertigem desde sua formação e Coordenador do Curso de Iluminação da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco.

Os primeiros seminários receberam o nome de “Bom Retiro: Sociabilidade Urbana e Segregação” e abordaram o tema da diversidade cultural e econômica do bairro. O segundo, “Bom Retiro: Migração e Multiculturalismo”, foi ministrado por historiadore e antropólogos, com organização do sociólogo Eduardo Fragoaz.

Agora, “Intervenções Artísticas em Espaços Públicos” é o novo alvo de estudos para o projeto do Teatro da Vertigem no Bom Retiro, que pretende ampliar o conceito estabelecido sobre a arte, além de fundir diferentes considerações sobre as artes plásticas, a arquitetura e o urbanismo.

O ciclo de palestras será realizado entre os dias 1º e 9 de setembro de 2010 e traz profissionais de renome, como o arquiteto e crítico Guilherme Wisnik, o Grupo Bijari, a arquiteta e urbanista Evelyn Furquim Werneck Lima e o artista plástico Eduardo Srur. Organizado por Antonio Araújo, diretor artístico do Teatro da Vertigem e professor do Departamento de Artes Cênicas da ECA/USP, o evento reflete o próprio histórico criativo do Teatro da Vertigem: uma procura incessante pela pesquisa e a utilização de espaços não convencionais para a encenação de seus espetáculos.

Mas afinal, por que o Bom Retiro?

Segundo o grupo, o bairro se apresenta como um ambiente social no qual reinam tensões e contradições e onde a experiência da diversidade humana assume contornos inesperados. Encravado na zona central, é palco de sucessivos fluxos imigratórios recentes e sua economia gravita ao redor da indústria têxtil, marco inicial da industrialização. O Bom Retiro é, enfim, um universo particular que pede para ser decifrado.

Confira a programação:

Seminário com Guilherme Wisnik
Dia 01/09/10

Wisnik é professor da Escola da Cidade, formado pela FAU/USP, mestre em História Social pela FFLCH/USP, doutorando pela FAU/USP e bolsista da Fapesp. Autor de “Lucio Costa” (Cosac Naify, 2001), “Caetano Veloso” (Publifolha, 2005) e “Estado Crítico: À Deriva nas Cidades” (Publifolha, 2009). Também é organizador do volume 54 da revista “2G” (Gustavo Gili, 2010) sobre a obra de Vilanova Artigas. Suas publicações incluem o ensaio “Modernidade Congênita”, em “Arquitetura Moderna Brasileira” (Phaidon, 2004), “Exercícios de Liberdade”, em “Marcos Acayaba” (Cosac Naify, 2007) e “Hipóteses Acerca da Relação entre a Obra de Álvaro Siza e o Brasil”, em “Álvaro Siza Modern Redux” (Hatje Cantz, 2008). É colaborador do jornal Folha de S. Paulo e curador do projeto de “Arte Pública Margem”, pelo Itaú Cultural.

 

Seminário com o Grupo BijaRi: Geandre Tomazoni e Maurício Brandão
Dia 02/09/10

Formado por arquitetos e artistas em 1996, o BijaRi é um centro de criação de artes visuais,  multimídia e arquitetura, localizado na região de Pinheiros. Ao desenvolver projetos em diversos suportes e tecnologias, o grupo propõe experimentações artísticas, sobretudo de caráter crítico. Intervenções urbanas, performances, instalações, vídeoarte e design são meios para estabelecer possibilidades de vivências onde a realidade é amplificada. Desenvolvendo não somente a linguagem, mas, em muitos projetos, a plataforma que será utilizada, o grupo cria novas soluções para comunicação, utilizando as mais diversas técnicas para impactar o público desejado. O BijaRi é reconhecido como um centro de vanguarda em criação audiovisual e referência no circuito artístico nacional e internacional.

 

Seminário com Evelyn Furquim Werneck Lima
Dia 08/09/10

Evelyn possui graduação em Arquitetura e Urbanismo (UFRJ–1968), mestrado em Artes Visuais (UFRJ-1988), doutorado em História Social (UFRJ–1997), com doutorado sanduíche na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS–1994). É professora associada da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, onde coordena o Laboratório de Estudos do Espaço Teatral e Memória Urbana. É cientista do “Nosso Estado” (Faperj). Bolsista da Capes no Pós-Doutorado na EHESS (2003).  É membro titular do Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural e do Centre de Recherches Interdisciplinaires sur le Monde Lusophone. Autora dos livros “Arquitetura do Espetáculo” (2000), “Avenida Presidente Vargas: uma Drástica Cirurgia” (1990 e 1995), “Das Vanguardas à Tradição” (2006). Organizou “Espaço e Teatro” (2008), “Espaço e Cidade” (2004 e 2007) e “Cultura, Patrimônio e Habitação” (2004). Acaba de lançar “Arquitetura e Teatro. O Edifício Teatral de Andrea Palladio a Christian de Portzamparc” (2010).


Seminário com Eduardo Srur
Dia 09/09/10

Srur começou sua trajetória como artista plástico e, a partir de 2002, passou a investigar novas mídias como fotografia, video, performance, instalação e, em especial, a linguagem de intervenção urbana. É conhecido por, realizar na cidade de São Paulo, intervenções urbanas que questionam o sistema social e artístico de forma crítica e bem humorada. É criador de obras como “Âncora”, no Monumento
às Bandeiras; “Touro Bandido”, na Cow Parade; “Pets”, no rio Tietê; e “Acampamento dos Anjos”, no Hospital da Mulher, em São Paulo, entre outras. Realizou trabalhos em espaços públicos e instituições culturais no Brasil e no exterior. Participou de exposições na França, Suíça, Espanha, Holanda, Inglaterra, Alemanha, Itália e Cuba.

Serviço:
Teatro da Vertigem
Endereço: Rua Treze de Maio, 240 1º andar, Bela Vista, São Paulo
Horário: 19h30
Fone: 11 3255 2713 – Entrada Franca
Lotação: 50 lugares   
Patrocínio do grupo: Petrobras
www.teatrodavertigem.com.br