EN | ES

Artaud, Pantomimas e Máscaras

Publicado em: 21/03/2011

A proposta de um exercício de leituras mexeu com a cabeça dos aprendizes do curso de Humor da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco. Eles que, durante esse semestre, vão enveredar pela na obra do dramaturgo Antonin Artaud, foram divididos em quatro grupos de leitura para abordar diferentes textos do autor em seminários inusitados.
 

Para estetizar a experiência de leituras de forma que as palavras pudessem surgir a partir de experiências relacionadas ao contexto artaudiano e ao uso da pantomima e do jogo de máscaras, a proposta da formadora do curso Daniela Biancardi gerou tanto seminários tradicionais como performances dos aprendizes. “A minha ideia foi criar um ambiente no qual os aprendizes pudessem entender o sentido da obra de Artaud e ter uma breve noção do contexto em que ele viveu”, revelou.
 

“A proposta foi muito proveitosa, pois conseguimos avançar em nossas leituras também por meio do olhar de nossos colegas. Essa abordagem de diferentes pessoas fez com que ampliássemos a nossa visão e entendimento do assunto. Também durante nossa própria explicação, algumas fichas vão caindo e isso ajuda na compreensão geral do assunto”, afirmou o aprendiz Vitor Carneiro de Castro.
 

Coordenado por Raul Barretto, o curso de Humor da SP Escola de Teatro prevê a formação de humoristas e comediantes para a atuação cênica. Para isso, transita por arquétipos e personagens e investe na elaboração de uma dramaturgia cômica própria, pensando em um ator-criador que contextualize socialmente sua obra e compreenda a dimensão histórica da função social do riso, abrindo espaços para expressões de novas tendências e experimentando uma sólida base de conhecimento já tradicional, porém ainda não sistematizado.