Arkádina e Silêncio para o Grupo Sete

Publicado em: 30/05/2011

A personagem Arkádina, da obra “A Gaivota”, de Tchecov, é o foco do trabalho desenvolvido pelo grupo Sete do Experimento do Módulo Verde, que estuda elementos do Realismo e é dirigido pelos aprendizes de Direção Edelsio Alves e Pablo Miguel Calazans. A orientadora é Juliana Jardim, formadora do curso de Humor.

 

“Estamos trabalhando com a trajetória de Arkádina, focando na sua caricatura, no seu ego e no tratamento desta personagem com as outras, de acordo com seu próprio interesse. Procuramos trabalhar as mudanças de comportamento, o silêncio necessário em conjunto com as ações físicas, que possibilitam a descoberta do que o texto não nos oferece diretamente, e o aparente estado de que nada acontece na peça”, explica Calazans.

 

Assim como nos grupos Cinco, Seis e Oito do Módulo Verde, todos os atores do Sete vêm do curso de Humor. Porém, segundo o aprendiz de Humor Fernando Carril, o riso constante não faz parte dos planos desse Experimento. “Propusemos um humor que faz pensar e não gargalhar. Através do diálogo, você reflete sobre as personagens. A diversão ocorre nas entrelinhas, nos desencontros das personagens, que acontecem a toda hora.”

 

Para conseguir incorporar esses elementos, o papel do dramaturgo é essencial. João de Freitas, aprendiz de Dramaturgia, explica que eles estão trabalhando em uma linha do dramaturgismo chamada “edição”, em que as falas das personagens não são alteradas, apenas a ordem em que são usadas. 

 

Freitas explica também que a proposta do silêncio vinda da pesquisa que os atores e diretores do grupo realizaram exige algumas adaptações. “Enxugamos o texto o máximo possível para que os atores tenham mais tempo para utilizar o silêncio e as ações físicas.”

 

Cris Oliveira, também aprendiz de Humor, ressalta a complexidade da obra de Tchecov. “Essa abordagem é maravilhosa. É incrível o uso que o autor faz de sobreposições, metalinguagens, intertextos, fazendo com que a peça não seja o que ela aparenta ser.”

 

Toda essa ação se passará em dois ambientes: o interno e o externo. As aprendizes Paula Rodrigues e Ana Giulia Turatto, dos cursos de Iluminação e Cenografia e Figurino, respectivamente, explicam que o cenário será todo branco, com exceção de uma cena que terá elementos de outra cor. 

 

“Esse sistema de cor branca foi elaborado para demonstrar a frieza entre as personagens. O figurino, por outro lado, é colorido”, explica Ana Giulia. “Pensamos em algo semelhante a uma edição de vídeos. Quando um ambiente fosse aceso, o outro seria apagado. Mas ainda não deu certo, pois, como o cenário é branco, o lado aceso reflete a luz para o outro. Estamos testando novas formas de iluminação”, observa Paula.

 

A importância da orientadora Juliana Jardim é ressaltada por Cris Oliveira, aprendiz de Humor. “A forma como a Ju apresentou o texto foi encantadora, o que ela conseguiu extrair de nós me surpreendeu. É a dama do Realismo”, completa, sorrindo.

 

Essa é a última semana do Experimento para os aprendizes, e, por isso, não é raro ver vários deles com expressões ansiosas e movimentos apressados pelos corredores da SP Escola de Teatro. Mesmo assim, Calazans se mostra tranqüilo e diz que acredita que o processo está no caminho certo. “Acho que vai dar tudo certo. Nossa expectativa é mostrar uma encenação limpa, fundamentada nas pausas e ações físicas, em busca da comicidade no silêncio”, finaliza.

 

Com o intuito de compartilhar o processo de trabalho e divulgar informações importantes para os aprendizes, o grupo Sete criou um blog, o http://xperimento7.blogspot.com/, que conta com postagens dos integrantes que vão de referências para cenários, figurinos e luz até textos relacionados às personagens de Tchecov.

 

 
Serviço
 
Apresentação do Experimento – Grupo Sete
Quando: 4 de junho, às 8h30
Onde: Teatro Anhembi Morumbi
Rua Dr. Almeida Lima, 1.198 – Brás
Entrada Franca
Aberta ao público