Aprendizes intercambistas apresentam performance na Suíça

Publicado em: 29/05/2018

Aprendizes se apresentaram em maio na Suíça. Foto: Divulgação

Em fevereiro deste ano, a SP Escola de Teatro lançou um edital em parceria com a Universidade das Artes de Zurique (Zurique Uniarts), e selecionou quatro aprendizes dos cursos de Atuação, Direção e Humor para um intercâmbio de seis semanas na Suíça. Liliane Pereira (Direção), Silvia Maciel (Atuação), Olívia Rocha (Atuação) e Pedro Vinicius (Humor) chegaram a Zurique no início de abril e participaram de aulas e ações da universidade, trocando experiências com professores e aprendizes.

Os estudantes tiveram aulas básicas de atuação, corpo, dança, meditação, aulas de acrobacia e de tempo e ritmo, além de se apresentarem, nos dias 11 e 12 de maio, no Festival W.I.R, evento bienal que abarca performances, cenas e palestras, organizado pela Universidade das Artes e o Teatro Neumarkt. O tema deste ano foi populismo e o recorte escolhido para ser trabalhado pelo grupo brasileiro, em conjunto com os aprendizes suíços, girou em torno da Era Vargas.

“A gente trabalha de uma forma completamente diferente da deles (suíços) e isso é muito interessante. Eu acho que como aprendiz e como atriz, essa experiência me fez reconhecer mais o lugar de onde venho. Percebi o quanto o teatro brasileiro é potente por ser um teatro político”, conta Olívia Rocha.

Os quatro selecionados receberam também passagem, hospedagem e alimentação. De volta a São Paulo em maio, devem agora desenvolver um trabalho de contrapartida junto à SP Escola de Teatro. O projeto ainda está sendo definido pela equipe de pedagogia da escola e deve ser divulgado no nosso site.




Relacionadas:

Notícias | 06/ 12/ 2021

Oficina Olhares: “É possível falar de masculinidade e feminilidade sem sermos binários?”, por Manfrin Manfrin

SAIBA MAIS

Notícias | 06/ 12/ 2021

Oficina Olhares: “As cores da foto do menino no poste estão desaparecendo”, por Milena Siqueira

SAIBA MAIS

Notícias | 06/ 12/ 2021

Oficina Olhares: “Se algo de fato existe, ele é feito de carne e sangra”, por Clara Prado

SAIBA MAIS