Anzai Dá o Tom

Publicado em: 27/10/2011

Na tarde de quarta-feira (26), era possível ouvir de longe uma cantoria vinda da sala do curso de Humor da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco. Novamente, os aprendizes estavam sob a batuta do músico Roberto Anzai, em uma aula de técnica vocal e percepção auditiva.

 

Desde setembro deste ano, o músico realiza encontros com os aprendizes de Humor, porém, agora, as aulas estão focadas no aprimoramento de ritmos, melodias e letras das músicas que vão compor o Experimento do Módulo Amarelo e integram a sonoplastia dos fragmentos que serão apresentados como trabalho de conclusão deste semestre.

 

“Muito mais que cantar afinado, este aula serve para ensinar os aprendizes a ouvir, escutar os outros, saber entrar no tom e, sobretudo, utilizar a voz como instrumento”, explica Anzai.

 

“O Anzai dá o tom”, brinca o aprendiz André Mendes que participou da aula. Para ele e outros aprendizes, como Cristiano Carvalho e Fernando Carril, juntar suas criações e aprimorá-las sob o olhar profissional de Anzai é muito bom. “Ele solta nossa voz e traz confiança”, completa Carril.

 

Ritmo Profissional

 

Roberto Anzai é formado em Música com habilitação em composição e regência e é Mestre em Musicologia Histórica, ambos pela Universidade Estadual Paulista (Unesp).

 

No Teatro-Escola Célia Helena, Anzai trabalha como diretor musical em diversos espetáculos, além de ministrar aulas de canto coral e expressão vocal. Atualmente, é, também, professor na Faculdade Integral Cantareira, onde ministra, desde 2005, a disciplina canto coral.

 

Entre suas produções artísticas, pode-se citar o trabalho de sonoplastia que fez para as montagens “A Casa do Sol” (1998), de Solange Dias; “Ópera do Malandro” (2005), de Chico Buarque; “Bodas de Sangue” (2005), de Federico García Lorca; e “Os Dois Cavalheiros de Verona” (2007), de William Shakespeare.

 

Hoje, Anzai, ao lado de seu colega Eduardo Klein, formam o grupo Zambaione, que abre o espetáculo “Veneno do Teatro”, protagonizado por Elen Londero – também analista de direção pedagógica da SP Escola de Teatro – e Bartholomeu de Haro, em cartaz no Aliança Francesa, com uma apresentação de música barroca realizada com instrumentos de época como violas da gamba, flautas barrocas e espineta.

 

Serviço:
“O Veneno do Teatro”
Quando: Até 4/12. Sábados, às 21h; domingos, às 19h
Onde: Teatro Aliança Francesa
Rua: General Jardim, 182 – Vila Buarque
Tel.: (11) 3129-5730
Informações: http://www.ciavenenodoteatro.blogspot.com/


 Texto: Renata Forato