A sonoplastia no teatro – conhecimento através do som

Publicado em: 28/06/2010

por Raul Teixeira, coordenador do curso de Sonoplastia

Abrem-se as portas do teatro. O público entra no mundo das ilusões. Ouve-se uma música, um som, um ruído, quem sabe uma voz – o espetáculo começou. O público que acabou de chegar do trabalho, da rua, do trânsito, do estacionamento, como num  passe de mágica, ao entrar na sala de espetáculos, se transporta para o desconhecido. Ouve-se uma música, um som, um ruído, quem sabe uma voz – a caixa preta de surpresas, de ilusões, de magia oferece ao público o melhor: na interpretação, na luz, no cenário, no figurino e na música. Cada profissional envolvido, que se preparou durante dias, meses, ou até anos, tem que estar em plena harmonia para realizar o melhor espetáculo de sua vida. O espectador entra num mundo diferente, num mundo de fantasias e de sonho. E tudo isso acontece, quando existem pessoas preparadas para atuar com criatividade  e técnica na profissão que escolheram; seja um ator, cenógrafo, figurinista, iluminador ou sonoplasta.
Comecei como quase todos os sonoplastas – autodidata – na raça, nos acertos e erros, com muito estudo, dedicação e, principalmente, com muito prazer. Havia poucos livros e revistas no mercado editorial e cabia a nós descobrirmos o caminho, resolvi abraçar minha profissão e partir para a compreensão do que é fazer sonoplastia de um espetáculo teatral. É a diferença entre ser um sonoplasta e estar sonoplasta.
Assim, depois de mais de 20 anos o sonho se tornou uma realidade, a SP Escola de Teatro criou um curso de sonoplastia. O curso é gratuito, aberto ao público, com duração de dois anos e dedicação diária aos estudos. É inovador e diferenciado pela proposta de experimentação proporcionando pesquisa e prática na área sonora, integrando e interagindo com outros cursos, tais como: dramaturgia, iluminação, técnicas de palco, cenografia, atuação, humor e direção e a possibilidade de entender e escrever a história que ainda não foi contada.
O sonoplasta, conhecedor e amante de sons e de músicas, tão importante na criação de emoções e sentimentos tem agora um grande espaço para aprofundar ideias e memórias, apresentar a outros artistas e ao público como eles pensam e sobre o que fazem quando atuam dentro de um espetáculo. Poucos conhecem e muitos nem imaginam as funções que um sonoplasta precisa dominar para realizar uma trilha sonora: seja no teatro, no cinema, rádio, televisão ou outras mídias.
Foi assim que começamos nossa primeira aula do curso de sonoplastia, definindo o que é sonoplastia. A grande maioria dos aprendizes desconhece a magnitude e importância desta profissão. Começamos do zero e construímos um curso que fala das necessidades do teatro brasileiro.
Ainda arraigado ao termo sonoplastia, criado nos anos 60 pelos programas de rádio, como sendo responsável pelos efeitos sonoros das novelas e programas, o sonoplasta não é só o criador de sons incidentais e sim um performer, que contextualiza o que ouvimos e nos emociona, mas também, um conhecedor da tecnologia sonora que são as ferramentas para poder se expressar.
Uma das definições que abrange as funções de um sonoplasta dentro de um espetáculo teatral é dizer que o sonoplasta é aquele que elabora a trilha sonora ou os efeitos especiais, ao vivo ou gravados, selecionando músicas, efeitos adequados ao texto e de comum acordo com a equipe de criação; pesquisa as músicas ou efeitos para montar a trilha sonora; opera a mesa de controle de som, produzindo os efeitos planejados e transmite ao operador de som.
É muito raro um espetáculo não ter música. Assim, o sonoplasta é o responsável pela criação, pesquisa, gravação, finalização, sonorização e operação dos efeitos sonoros e músicas que o espetáculo necessita. É ele que, com criatividade e técnica, resolve os climas e efeitos propostos durante os ensaios ou rubricados no texto. E mais: o sonoplasta apreende a ideia da concepção da montagem do diretor e participa do processo de criação do espetáculo.
Com a colaboração de alguns importantes profissionais que se dedicam à pedagogia e  criam trilhas sonoras para cinema, teatro e televisão, o curso da SP Escola de Teatro é um marco na formação do aprendiz que, acredito, sairá com os elementos possíveis para discutir, defender, criar , ensinar e executar qualquer som ou música que lhe for solicitado.
Quando saímos de um espetáculo, ficamos com a impressão de que estava faltando algo ou que tinha alguma coisa a mais. O sonoplasta pode modificar essa situação acrescentando ou tirando músicas e efeitos sonoros; pode ainda, com técnica e sensibilidade, enfatizar ou suavizar traços da concepção artística.
Fazer sonoplastia para teatro significa deixar a música penetrar no espetáculo, compor uma criação artística de tal forma que ela entre na cabeça e no coração do público sem que ele se dê conta.
A sonoplastia é conhecimento através do som com criatividade, sensibilidade e paixão pela arte.

Relacionadas:

Formadores | 07/ 02/ 2014

Leia as revistas A[L]BERTO online

SAIBA MAIS

Formadores | 21/ 08/ 2012

Fala, Cia. Hiato!

SAIBA MAIS

Formadores | 09/ 08/ 2010

Luz, Cena, Ação!

SAIBA MAIS