A Mascote Cacilda Estreia no Teatro

Publicado em: 13/07/2010

A cadela Cacilda foi encontrada na rua por funcionários da Escola no último mês de maio, com seis filhotes recém-nascidos. Com a orientação de um veterinário, os animais receberam o tratamento e cuidados necessários. Depois de amamentar os filhotes, que foram doados, a cachorra foi batizada por meio de uma votação no twitter e se tornou a mascote oficial da Instituição. Hoje, ela transita pelos corredores da Escola e convive com os aprendizes e funcionários.

A familiaridade e a convivência fez com que a Cacilda participasse do exercício cênico que os aprendizes do Curso de Direção realizaram na manhã de quinta-feira, 8 de julho. A cena apresentada foi da peça “O Jardim das Cerejeiras”, do dramaturgo russo. “Montamos um Anton Tchekhov para cachorros”, brinca a aprendiz de Direção Antonia Matos.

A participação ocorreu de forma espontânea e os alunos brincaram que o teatro está no sangue da mascote, que recebeu o nome em homenagem a Cacilda Becker (1921 – 1969), atriz que fez história nos palcos brasileiros. “Realizamos todo o ensaio do exercício no jardim da Escola. A Cacilda ficava olhando curiosa e acabou se aproximando do grupo. Resolvemos incorporá-la à apresentação e, no final, ela acabou roubando a cena”, conta a aprendiz de Direção Sandra Storino.

Nessa aula, foi focada a preparação de ator e todos os alunos passaram pela experiência de atuar e dirigir. “Quando atuei, vivenciei a cena com mais sentimento. Na direção, a composição ficou racional e distanciada. Foi importante transitar entre estas duas frentes de trabalho”, conta a diretora da cena, Luciana Bortoletto.

A ação da personagem da peça com a mascote Cacilda foi a de acariciá-la o tempo inteiro, enquanto um homem fazia serenata com um violão. “De improviso, surgiu uma cena bem bacana. Como a mulher queria casar de qualquer maneira, quando o homem flertou com ela, eu joguei um pedaço de ração longe. Dessa forma, a Cacilda saiu de perto e os dois enamorados ficaram as sós. Foi bem divertido”, finaliza Storino.