A Festa de Debutante do Orgulho LGBT

Publicado em: 24/06/2011

São Paulo já conhece bem a Parada do Orgulho LGBT que acontece, todos os anos, na Avenida Paulista. A poucos dias da sua 15ª edição, que acontecerá no dia 26 de junho, a Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo (APOGLBT) tem a expectativa de receber nesse ano mais de 3,5 milhões de pessoas. Número considerável diante das 2 mil que ocuparam a Avenida Paulista marchando em direção à Praça Roosevelt e protestando contra a discriminação e violência sofridas pela população LGBT no ano de 1997, quando acontecia a 1ª edição desse grande evento. 

 

Puxadas por uma Kombi com uma caixa de som em cima, essas pessoas que participaram da primeira Parada gritavam as seguintes palavras de ordem: “somos muitos e estamos em todas as profissões”.  Hoje, catorze anos depois, a perua Kombi foi substituída por mais de 20 trios elétricos.

 

O evento vem crescendo em tal proporção que, em 2010, as 2 mil pessoas que tiveram a coragem e ousadia de se manifestar na primeira edição se transformaram em 3,3 milhões.  Esse número reflete a dimensão de um dos maiores e mais importantes eventos de toda a América Latina,  que movimentou, no ano passado, segundo a SP Turis, 188 milhões de reais somente na cidade de São Paulo.

 

O objetivo primeiro da Parada é dar visibilidade às categorias sócio-sexuais e fomentar a criação de políticas públicas para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. A principal estratégia é ocupar os espaços públicos para elevar a autoestima dos LGBT e sensibilizar a sociedade para o convívio com as diferenças. Mas hoje a Parada é também um momento de celebração pelas muitas conquistas já alcançadas, pelo avanço da nossa sociedade ao respeito às diferenças e, para reivindicar, de maneira mais feliz e irreverente, um País mais justo e igualitário.

 

Comemorando os 15 anos da Parada, a ideia da festa desse ano é fazer um grande “debut”com direito a valsa e tudo. Na abertura todos serão convidados a formar casais que valsarão ao som de “Danúbio Azul”, Johann Strauss, remixada por DJs.  A expectativa é que seja a maior valsa de 15 anos já realizada. 

 

Além de seus 15 anos, a Parada desse ano celebra também a 1ª década da lei paulista que criminaliza a homofobia no Estado de São Paulo e que também é o tema dessa edição: “Amai-vos uns aos outros – basta de homofobia 10 anos da Lei Estadual 10.948/01”. E, pela sexta vez consecutiva, o tema da Parada aborda o problema da homofobia, dessa vez, reivindicando a criminalização da mesma em âmbito nacional.

 

E assim marcha a maior parada gay do mundo…

 

Veja programação oficial e eventos paralelos   www.paradasp.org.br

 

 

Fotos: Divulgação