A Cidade Dentro do Teatro

Publicado em: 13/08/2010

Por Lucas Arantes
 
O pesquisador José Simões, ex-diretor pedagógica interino da SP Escola de teatro – Centro de Formação das Artes do Palco e especialista na área da Pedagogia do teatro e do espaço teatral, sabe da influência do teatro na cidade e da cidade no teatro. “São duas instâncias que se complementam na contemporaneidade”, diz.
 
Na sexta-feira (13), Simões participou de um, dos oito seminários realizados pela Escola de Teatro, sendo quatro sobre “Teatro e a Cidade” e quatro com o título “Elementos do Épico”. Nesses dias, os 200 alunos dos oito cursos são reunidos em só espaço para discutir cada um desses temas.
 
Para ele, a premissa básica é a interdependência da atividade cênica com a cidade. “Nos dias de hoje, o teatro é uma atividade urbana e comunitária. Pretendo estabelecer relações de percepção desse conceito e apresentar os possíveis modos de interação com esse ambiente”, conta.
 
No Módulo Amarelo, cujo Eixo Temático é o épico e o Elemento Operador é o lugar não edificado para a atividade teatral, o objetivo dos encontros é ampliar as discussões desses dois assuntos. A cada evento, um novo profissional é convidado. 
 
“Esse é um espaço para que todos os cursos se encontrem e acrescentem com um olhar particular sobre o teatro épico, que tem uma profunda relação com a cidade. Sempre teremos um convidado para trazer uma visão diferente sobre o épico e a ocupação teatral dentro do espaço urbano”, afirma Joaquim Gama, coordenador Pedagógico da Instituição.
 
No artigo intitulado “Módulo Amarelo: Teatro e a Cidade”, José Simões escreve: “os modos de ocupação e uso do espaço, normalmente, não se encontram somente vinculados à criação dos espetáculos da companhia ou grupo residente, mas encontram-se associados a um conjunto de atividades que visam dinamizar o espaço culturalmente”.
 
A pesquisadora Ingrid Koudela, autora de “Brecht: Um jogo de aprendizagem”, inaugurou a série de seminários na última sexta-feira (6). Alguns dos pensadores que irão compor os encontros com os aprendizes, além de José Simões, são Luís Alberto de Abreu, Alexandre Mate e Antônio Araújo, entre outros.
                                                                                                    
Confira aqui o texto na íntegra.