Sua Incelença, Imagética

Publicado em: 28/07/2020

[…] Mil corações batem vivos em meu peito. Avançai, estandartes nossos!
Lançai-vos sobre o inimigo! Que nosso velho brado de coragem, “por São
Jorge”, nos inspire com o alento de dragões de fogo! A eles! A vitória
se assenta em nossos elmos. […]
William Shakespeare (Ricardo III)

 

Para Susan Sontag, uma foto nunca é apenas uma imagem, uma simples interpretação do real: é também um vestígio, uma pegada deixada por alguém que já ocupou o lugar da fotografia, e tem o poder de se apoderar da realidade. A fotografia de cena traz consigo um vestígio material da emanação de luzes refletidas pelo espetáculo teatral. Muitos fotógrafos já nos trouxeram esses vestígios do teatro brasileiro e cabe aqui citar nomes importantes: Fredi Kleemann, Derly Marques, Vânia Toledo – que nos deixou recentemente -, Tereza Pinheiro, Emidio Luisi, Lenise Pinheiro, João Caldas e Guto Muniz, dentre outros tantos artistas que se dedicam às artes cênicas.

Atualmente, em função da pandemia que paralisou parte do mundo, apartados das salas de espetáculos e espaços de encenação, a fotografia pode nos ajudar a interpretar a realidade com seu poder imagético sobre a apreensão do real e nos transportar, por meio da memória, a lugares onde presenciamos grandes obras e encontros com os nossos mais variados sentimentos.

Em Imagética, faremos um passeio por diversos espetáculos, que tive a sorte de registrar ao longo de quase duas décadas dedicadas à cena teatral brasileira, com enfoque majoritário em São Paulo, e nessa primeira publicação apresento o espetáculo Sua Incelença, Ricardo III, do grupo Clowns de Shakespeare, dirigido por Gabriel Vilela e apresentado no Festival MIRADA, no Sesc Santos, em 2016.

Dentro desse conceito de um teatro popular, orientado pela musicalidade da cena e do corpo, numa vocação colaborativa e de ocupação das ruas e dos espaços de encenação trazidas nesse grande espetáculo da trupe dos Clowns, está contida a vontade de retomarmos o mais brevemente possível os espaços teatrais e a volta da produção artística que alimenta todo o imaginário cultural brasileiro.

Vida longa ao teatro brasileiro. Salve, SP Escola de Teatro! Nasceu, Imagética!

Vamos em frente!


“A construção do olhar fotográfico sobre as nossas obras confunde-se com a própria trajetória da construção da nossa cena. Ao longo dos 26 anos de vida dos Clowns, tivemos encontros com muitas fotógrafas e fotógrafos, algumas que renderam relações contínuas e duradouras, outras que provocaram fortes fricções pontuais, e ainda outras que passaram sem que pudéssemos sentir o gosto da troca. Pablo Pinheiro, Maurício Cuca, Lenise Pinheiro, Adalberto Lima, Raiane Calistrato, dentre outras e outros. O diálogo com fotógrafas e fotógrafos sobre transposição das imagens de três para duas dimensões, educou nosso olhar para buscar como podemos inverter esse fluxo, e aprender a ler, construir e ajustar nossa cena a partir do que os precisos olhares desses parceiros enquadram. Agora, inaugurando esse espaço virtual, uma nova parceria se estreita com Bob Sousa, com quem já tivemos encontros esporádicos, e acompanhamos a qualidade do trabalho de longe. Que seja fértil!”

Fernando Yamamoto, diretor artístico dos Clowns de Shakespeare

 

O site da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco está sob licença Creative Commons. A cópia e a reprodução de seu conteúdo são autorizadas para uso não-comercial, desde que citado o devido crédito ao site, aos autores e fotógrafos. Não estão incluídas nessa licença obras de terceiros.

Para reprodução com outros fins, entre em contato com a Escola.

Assisdesign