EN | ES

Outubro foi de diversidade exuberante na Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro

Publicado em: 28/10/2022

Por Miguel Arcanjo Prado

O mês de outubro de 2022 foi pulsante na Extensão Cultural e Projetos Especiais da SP Escola de Teatro, com atividades intensas, diversas e gratuitas, sob coordenação de Miguel Arcanjo Prado.

Nas Residências, um dos destaques foram as sessões do espetáculo Diálogos, de Bruno Narchi, que encerrou o curso de Teatro Musical. ministrado em parceria com o coletivo Nosso Projeto. A montagem reuniu cerca de 50 novos talentos para o teatro musical brasileiro em duas sessões com ingressos esgotados. A parceria com o Nosso Projeto ainda contou com a temporada do musical Azáfama, nos meses de, junho, julho e agosto, com gigantesco sucesso de público.

Também em outubro aconteceu a Mostra de Cenas – Festival de Cenas Co.Lab, em parceria com o espaço que de treinamento cênico sob direção de Daniela Stirbulov e Velson D’Souza (ator indicado ao Prêmio Bibi Ferreira por interpretar Silvio Santos no musical Silvio Santos Vem Aí).

Outra mostra que marcou o mês foi a de cenas com Escola de Mulheres – Uma Sátira ao Patriarcado, parceria com os artistas Suzana Muniz e Mau Machado, diretores do Grupo Lunar de Teatro com uma releitura feminista do clássico do francês Molière.

Outro grupo que marcou presença nas Residências da SP Escola de Teatro foi a Cia do Caminho Velho, com o espetáculo Caatinga, tendo como foco a secura e o machismo do agreste, com estudantes egressos da SP Escola de Teatro em parceria com a Unifesp de Guarulhos.
Nos Curso de Extensão, o mês começou com o circo em foco, com o curso de Pernas de Saracura – Estudos sobre Perna de Pau, por Gui Awazu; o de Iniciação às Artes Circentes, com a Cia Fundo Mundo, coletivo de pessoas trans e não-binárias; e o início do curso Técnicas, Truques e Aprofundamento para Manipulação e Criação do Bambolê, com a artista internacional e imigrante equatoriana Pipa Luke.
Outro curso que teve início foi Voz: O Corpo Que Canta, com Gui Leal, grande nome do teatro musical brasileiro e que esteve em espetáculos recentes de sucesso como Evita Open Air e Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate.

A moda também ganhou espaço na Extensão Cultural, com o curso Dramaturgia Visual – A Estética da Moda na Estética do Palco, com Brunno Almeida Maia e Wellington Mendes, especialistas reconhecidos quando o assunto é mercado fashion.

Também começou o curso Dança Sem Fronteiras – Improviso e Composição no Contexto da Diversidade, com Fernanda Amaral, que também fará apresentações na SP Escola de Teatro em novembro com sua Cia. Dança Sem Fronteiras.

O mês terminou com Eutonia: Consciência Corporal para Artistas, com Luiz Renato, com foco na consciência corporal. Ainda teve finalização os cursos Corpo, Palavra e Espaço, de Carmen Jorge; Comunicação Cultural, de Bruno Cavalcanti; Palhaçaria – Comicidades Negras, com Vanessa Rosa; além do andamento do curso Dança, Fragmento e Conexões, com Leilane Teles.

O mês ainda teve espaço para o workshop Relações Estético-Políticas e Barbárie na Dramaturgia Latino-Americana Contemporânea, com Abel Xavier, Carol Vidotti e Wallyson Mota. Eles apresentaram debates e experiências cênicas acerca da pesquisa do Coletivo Labirinto com a dramaturgia latino-americana contemporânea e seus processos de criação.

Ainda foram abertas as inscrições para a 3ª edição do Prêmio Solano Trindade de Dramaturgia Negra, com foco em jovens autores pretos e pardos estudantes ou professores de escolas de teatro de todo o Brasil.

Foram muitas atividades em outubro, com promoção de espetáculos, cursos, workshops, ensaios e outras atividades que aproximaram o fazer teatral e a pesquisa cênica das pessoas.

Nada disso seria possível sem a contribuição da aguerrida equipe de Extensão Cultural, com assistência de Rodrigo Barros, David Godoi e a estagiária Solange Correia.

E novembro reserva ainda muito mais. Mas isso já é tema para a próxima coluna!