O Corpo da Mulher como Campo de Batalha

Publicado em: 31/10/2017

Foto: Cassandra Mello/Divulgação

A montagem, com texto do romeno naturalizado francês Matéi Visniec, narra a relação de uma mulher vítima com uma terapeuta norte-americana. Elas se encontram em um hospital, no final da Guerra da Bósnia, em 1994, e tentam dar força uma a outra para seguir suas trajetórias.

“O Corpo da Mulher como Campo de Batalha” explora os limites entre o documental e a poesia e discute a violência contra a mulher, o estupro, extremismo e aborto. A versão paulista da peça (ela já foi montada no Rio de Janeiro por Fernando Philbert) tem direção de Malú Bazán e une no elenco as atrizes Camila Turim e Patricia Pichamone.

Matéi Visniec é considerado por críticos europeus um seguidor da obra de Eugène Ionesco (1909-1994), pela força do teatro do absurdo presente em seus textos.

Ficha técnica:
Texto: Matéi Visniec | Direção: Malú Bazán | Elenco: Camila Turim e Patricia Pichamone | Cenário: Anne Cerrutti | Figurino: Anne Cerrutti e Cibele Gardin | Audiovisual e fotos: Cassandra Mello | Desenho de luz: Miló Martins | Operação de luz: Fernanda Guedella | Produção executiva: Larissa Barbosa | Coordenação de produção: Camila Turim | Produção: CAO – Como Amar o Outro | Temporada: De 1º a 30 de outubro de 2017.

circle

Onde: SP Escola de Teatro, sede Roosevelt (Praça Franklin Roosevelt, 210, Consolação). Não possui estacionamento.

Quando: sáb., às 21h; dom., às 19h; seg., às 20h. De 1º/10 a 30/10.

Quanto: R$ 40 e R$ 20 (meia-entrada) – à venda na bilheteria do teatro uma hora antes da apresentação.

Duração: 75 minutos

Quantidade de lugares: 60 lugares

Classificação: 14 anos