Exposição Universo Pagu homenageia a trajetória e legado da artista em prédio histórico da SP Escola de Teatro

Projeto faz parte das ações da ADAAP que celebram o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, em parceria com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, e oferece ao público um panorama da vida da artista, jornalista e ativista Patrícia Galvão, símbolo do modernismo brasileiro, que estudou quando adolescente na Escola Normal do Brás, hoje sede da SP Escola de Teatro

A ADAAP (Associação dos Artistas Amigos da Praça), que administra a SP Escola de Teatro, instituição ligada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, convida todas e todos a visitarem  a exposição Universo Pagu, com abertura oficial para o público nesta quarta-feira, 15, na sede Brás da Instituição (Avenida Rangel Pestana, 2401, Brás). A exibição, que tem acesso gratuito, faz parte das ações que celebram o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, promovidos pela instituição com o apoio da Secretaria.

O projeto reproduz o período em que a artista, escritora, militante, jornalista, tradutora, crítica de artes e diretora de teatro Patrícia Rehder Galvão, a Pagu, estudou na antiga Escola Normal do Brás, hoje sede da SP Escola de Teatro.

Mais do que apenas retratar elementos da vida de Pagu, a exposição Universo Pagu se propõe como apreensão crítica dos aspectos circundantes. Serão enfatizados na mostra, assim, aspectos histórico- arquitetônicos do prédio – onde ela estudou e que hoje funciona a sede Brás da SP Escola de Teatro -, o entorno do bairro e múltiplas relações éticas e estéticas da artista com o movimento de 1922”, explica Marcio Aquiles, coordenador da instituição e um dos idealizadores da exposição.

Pagu foi um importante nome do modernismo brasileiro, assim como personagem fundamental para o fomento e divulgação do teatro brasileiro. Homenageá-la no local em que ela viveu momentos essenciais de sua formação artística e intelectual é uma honra para a SP.


Os responsáveis pela criação, pesquisa, organização e montagem do cenário da exposição são os estudantes do curso técnico em teatro de cenografia e figurino e técnicas de palco, com a participação de linhas do estudo como iluminação, sonoplastia, atuação, humor e dramaturgia. Todo o processo teve a supervisão pedagógica do coordenador dos dois cursos, o prestigiado cenógrafo J.C. Serroni, e dos formadores Telumi Hellen, Viviane Ramos e Marcio Tadeu. Ivam Cabral, Elen Londero, Marcio Aquiles e Joaquim Gama foram os responsáveis pela idealização do projeto e curadoria.

Poder homenagear Pagu no centenário da Semana de Arte Moderna e dentro de uma escola onde ela estudou é uma grata coincidência. Ainda mais quando pode-se usar a montagem da exposição como pretexto para exercício dos estudantes. Foram eles que desenvolveram o projeto, que tendo como base o construtivismo russo, criaram um espaço desconstruído, um pouco contestatório ao organizado de uma exposição, o que certamente Pagu aprovaria”, relata Serroni.

Entre os destaques da exibição estão as passagens principais da vida da artista, como sua infância, a carreira de jornalista e escritora, o ativismo político, os casamentos e a paixão pelas artes cênicas, sendo ela, ao lado de Paschoal Carlos Magno, responsável pela criação do FESTA – Festival de Teatro Amador de Santos (o festival mais antigo ainda em atividade no Brasil).

É imperdível!

SP Escola de Teatro apresenta: Exposição Universo Pagu

Onde: Sede Brás da SP Escola de Teatro- Avenida Rangel Pestana, 2401, Brás

Quando: 15 de dezembro de 2021 até 28 de fevereiro de 2022

Segunda a sexta-feira (24/12 e 31/12 fechado)

Horário: 10:00 às 18:00

Acesso gratuito

Classificação indicativa: 12 anos

Acessibilidade física

Sinopse:

Mais do que apenas retratar elementos da vida de Pagu, a exposição Universo Pagu se propõe como apreensão crítica dos aspectos circundantes. Serão enfatizados na mostra, assim, aspectos histórico-arquitetônicos do prédio – onde ela estudou e que hoje funciona a sede Brás da SP Escola de Teatro -, o entorno do bairro e múltiplas relações éticas e estéticas da artista com o movimento de 1922.

 Ficha Técnica:

Diretor Executivo: Ivam Cabral

Coordenador Pedagógico: Joaquim Gama

Coordenador dos cursos de Cenografia e Figurino e Técnicas de Palco: JC. Serroni

Curadoria e Projeto Expográfico: JC Serroni, Viviane Ramos, Telumi Helen, Marcio Aquiles.

Assessoria: Elen Londero e Luiza Camargo

Orientadores de pesquisa primeiro semestre de 2021: Bia Mendes, Diego Pallardó, Igor Martins, Laura Carone, Telumi Hellen e Viviane Ramos.

Orientadores para desenvolvimento da exposição segundo semestre de 2021: Cezar Renzi, Lu Bueno, Luma Yoshioka, Márcio Tadeu, Telumi Hellen e Viviane Ramos.

Estudantes que participaram da pesquisa no 1º Semestre de 2021: Ana Julia Rodrigues, Andréa Fonseca Monteiro, Andressa C. Cericato Azaro, Danilo Ribeiro Stavale, Eduardo F. Marella, Eric Menezes, Grabriel Lopes Francisco de Godoi, Gabriela C. Silva, Geiziane Campelo, Hélia Maria Araújo Lopes, Joanna Iglesias Sepeda, Julia Miola, Julia Tavares, Juliana Lins, Louise Makiama, Luiza Saad, Mariana Riberti, Marina de Fátima F. Santos, Maria José C. Arriola, Rafael Veloso de Lira, Rogério Flávio da Silva Filho, Sabre Fiorentino, Stephanie C. Inácio Vieira, Thabata Oliveira, Thalita Oliveira Vicente, Vinicius Lopes da Silva, Wanessa Lemos, Wagner de Oliveira.

Estudantes que participaram no desenvolvimento da exposição no 2º Semestre de 2021:
Núcleo de organização de pesquisa: Andressa C. Cericato Azaro, Daniel Terra, Hélia Araújo de Almeida, Gabriel Lopes de Godói.
Núcleo do projeto expositivo: Andrea Fonseca Monteiro, Cynthia Cirqueira, Luana Soares Andrade, Wanessa de S. Lemos, Mariana Riberti, Hideike Okutani, Patrícia Kingelfus.

Núcleo caixa presente para Pagu: Cintia Regina dos Santos, Daline Sales F. da Silva, Julia Cordeiro, Julia Leandro, Nathalia, Eduardo Couto, Priscila e Dan.

Núcleo de programação visual: Julia Tavares, Luca Santiago, Laura da Matta, Danny Salas Garcia, Marcos Fellip.

Núcleo de Performance: Ana Letícia de Oliveira, Flavi da Silva Lima, Gabriella Fernandes, Gabriel Gonzalez, Jonathan Faria, Vitor Alves.

Núcleo de Iluminação: Giorgia Ornella Tolani , Julia Ritter e Raoni Nunes Freitas.

Núcleo de sonoplastia: André de Sousa Andrade, Carolina das Santas, Gyles e Gabú.

Equipe de apoio para construção: Joanna Iglesias Sepeda, Lisandra Poianas, Leidiane Batista e Louise Makiama.

 

 

 




Posts Archives

Exposição Universo Pagu homenageia a trajetória e legado da artista em prédio histórico da SP Escola de Teatro

Posted on

Projeto faz parte das ações da ADAAP que celebram o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, em parceria com a Secretaria de…

Read more

1º Seminário de Mostra de Estudantes da Quadrienal de Praga de 2023 acontece de 2 a 7 de dezembro no YouTube da SP

Posted on

Acontece a partir desta quinta-feira, 2, o 1º Seminário da Mostra de Estudantes da Quadrienal de Praga de 2023, que será exibido através do…

Read more

Trajetória de J.C Serroni, coordenador da SP Escola de Teatro, é tema de curso online do Itaú Cultural

Posted on

O Coordenador de Cenografia e Figurino e Técnicas de Palco da SP Escola de Teatro, J. C. Serroni, ministra uma aula especial no curso…

Read more

Mesa de discussão: Emilie Sugai, Lee Taylor e Joel Pizzini falam do processo de criação do espetáculo Aka

Posted on

A SP Escola de Teatro promove nesta quinta-feira, 4, às 16h, uma live-seminário sobre o espetáculo de dança Aka, protagonizado pela performer Emilie Sugai,…

Read more

J.C. Serroni faz 70 anos: ‘Precisamos manter a humanidade do teatro’

Posted on

POR MATEUS ARAÚJO E MIGUEL ARCANJO PRADO.   Há um passeio por importantes capítulos da história dos palcos brasileiros guardado em primorosas miniaturas, nos corredores…

Read more

Aderecista, a história de Clau Carmo se confunde com a da própria Escola

Posted on

JONAS LÍRIO Diz o ditado que “todo fim é um recomeço”. Essa frase é talvez a que melhor se aplica à vida do aderecista…

Read more