Em Cartaz / AGENDA

FILTRAR POR:
  • Todos
  • Teatro

Teatro

Lisístrata – O Voo das Andorinhas

Foto: Ítalo Iago/Divulgação

A greve de sexo que deu fim a uma guerra: entre 29 de junho e 16 de julho, a sede Roosevelt da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, recebe “Lisístrata – O Voo das Andorinhas”, versão atualizada da Cia. do Voo para a clássica comédia grega.

Escrita pelo dramaturgo grego Aristófanes há mais de dois mil anos, a peça se mostra ainda atual e relevante ao discutir as expectativas sociais impostas à mulher. A trama narra a história de mulheres de várias cidades da Grécia que, cansadas de perder seus maridos e filhos a uma guerra que já dura mais de 20 anos, criam um protesto inusitado para dar fim ao conflito. Lideradas pela ateniense Lisístrata, elas organizam uma greve de sexo, maneira que encontraram para se fazer ouvidas pelos homens da época.

Além da discussão sobre a subjugação e objetificação do gênero feminino, a montagem da Cia. do Voo traz também um recorte de raça: a protagonista do espetáculo é interpretada por uma mulher negra, a atriz Jamile Godoy – ela, o diretor Tom Rezende e o dramaturgo Marcelo Oriani estudaram na SP Escola de Teatro. “Na época em que o texto foi escrito, mulheres não podiam sequer frequentar o teatro. Agora, temos uma protagonista negra e empoderada que dá força a outras personagens”, conta o diretor.

“Lisístrata – O Voo das Andorinhas” estreou em março deste ano no Teatro Sérgio Cardoso e já recebeu mais de 15 prêmios em mostras e festivais, como os de melhor atriz, maquiagem e sonoplastia no 12º Festival Nacional de Teatro Cacilda Becker.

Ficha técnica:

Texto: Aristófanes | Adaptação e Direção: Tom Rezende | Pesquisa dramatúrgica: Laura Diniz | Dramaturgismo: Marcelo Oriani | Elenco: Camila Fernandes, Fernanda Oliveira, Gustavo Martins, Jamile Godoy, Rafael Lopes, Raquel Domingues, Rodolfo Bellarosa e Thiago Ubaldo | Figurino e adereço: Rosangela Ribeiro | Assistente de figurino e adereço: Aline Olegário | Confecção de figurino: Noeme Costa e Vera Luz | Maquiagem e Ilustração: Yasmin Pisciotta | Visagismo: Roberto Marinelli | Cenários e objetos cênicos: Cia. do Voo | Iluminação: Pati Morim Lobato | Operação de Luz: Tom Rezende | Edição de Vídeo: Jamile Godoy | Direção musical e percussão cênica: Izabel Lima | Canção original: Fernanda Oliveira | Direção de movimento: Simone Maeda | Design gráfico: Alessandro Bernard | Produção e Comunicação: Maria Loverra | Mídias sociais: Gustavo Martins

circle

Onde: Sede Roosevelt. Praça Franklin Roosevelt 210, Consolação

Quando: Sex e seg, às 21h00; sáb, às 20h00; dom, às 19h00. De 29/6 a 16/7.

Quanto: R$ 30,00 e R$ 15,00 (meia-entrada); R$ 10 (aprendizes da SP Escola de Teatro) – à venda na bilheteria do teatro uma hora antes da apresentação.

Duração: 80 minutos

Quantidade de lugares: 60 lugares

Classificação: 14 anos

Cabeças Trocadas

Foto: Priscila Reis/Divulgação

Metáforas e ironias dão o tom da montagem “Cabeças Trocadas”, baseada na obra do alemão Thomas Mann (1875-1955), que o grupo Caixa de Fuxico estreia na sede Roosevelt da SP Escola de Teatro. Ligada à Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, a instituição recebe o espetáculo de 6 de julho a 6 de agosto.

Assim como o conto de Mann, publicado pela primeira vez em 1940, o espetáculo se inspira em tradições e costumes da Índia para mergulhar em temas como espiritualidade, desejo e a representação do feminino. Na trama, Sita se vê apaixonada por dois homens: seu marido e o amigo dele, ambos com condições sociais e filosofias de vida muito diferentes um do outro. Em um momento de desespero, ela pede ajuda à deusa Kali, que troca a cabeça dos dois homens.

Adaptado pela atriz Andrea Cavinato, que estrela o solo, o texto traz ao palco as características da história original, permeada por ironias e metáforas questionando o poder do inconsciente sobre nossas atitudes. A atriz também interpreta os dois homens da narrativa e a deusa Kali.

Convidada inicialmente para supervisionar a preparação corporal da Andrea, a atriz e dançarina Rosana Pimenta, que também é pesquisadora de danças indianas, acabou assumindo a direção de “Cabeças Trocadas”. Além da inspiração em rituais e danças da Índia, ela optou por trazer para a encenação as estéticas do teatro épico e do teatro das sombras. No palco, a musicista Estela Carvalho usa violão, flauta, escaleta, acordeon e percussão para compor a trilha ao vivo.

Ficha Técnica:
Texto e concepção: Andrea Cavinato – adaptação de “As Cabeças Trocadas”, de Thomas Mann | Direção: Rosana Pimenta | Interpretação: Andrea Cavinato | Música ao vivo: Estela Carvalho | Direção de arte: Juliana Bertolini | Pesquisa musical: Helena Rosenthal, Juliana Bertolini e Estela Carvalho | Orientação sobre teatro de sombras: Andi Rubinstein | Iluminação: Zhé Gomes | Apoio em produção: Dani Caielli | Fotos: Priscila Reis e Lineu Ko | Costureira: Benê Calistro | Assessoria de imprensa: Verbena Comunicação | Produção: Carlito Tostes

circle

Onde: SP Escola de Teatro, sede Roosevelt (Praça Franklin Roosevelt, 210, Consolação)

Quando: De 06/7 a 06/8. Sex, sáb. e seg, às 21h; dom, às 19h.

Quanto: R$ 30, R$ 15 (meia) e R$ 10 (aprendizes da SP Escola de Teatro) – à venda na bilheteria do teatro uma hora antes da apresentação.

Duração: 75 minutos

Quantidade de lugares: 60 lugares

Classificação: 16 anos



Nossa programação também está no SP Estado da Cultura, ferramenta disponibilizada pelo Governo do Estado de São Paulo com os eventos de todos os equipamentos culturais do estado.

Eventos passados Seta Seta

O site da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco está sob licença Creative Commons. A cópia e a reprodução de seu conteúdo são autorizadas para uso não-comercial, desde que citado o devido crédito ao site, aos autores e fotógrafos. Não estão incluídas nessa licença obras de terceiros.

Para reprodução com outros fins, entre em contato com a Escola.

Assisdesign