Zanoni Ferrite por Diversos

Publicado em: 28/03/2012

“O Zanoni era um ator apaixonado, concentrado e extremamente criativo. Aproveitava cada possibilidade do texto para comunicar seu testemunho de humanidade. Em ‘O Santo Inquérito’, montagem de 1977, de Dias Gomes, com direção de Flávio Rangel, tive o privilégio de contracenar com ele e aprender muito sobre o ofício do ator. Zanoni deu vida e credibilidade a um padre jesuíta carregado de emoção, sem perder jamais a racionalidade, com sutilezas de composição exemplares.”

                                                                                              Regina Duarte

 

“Zanoni Ferrite, um grande homem, um grande ator, um enorme compromisso com a verdade, com justiça e com o relato da passagem do ser humano nessa comédia em que vivemos.”

                                                                                                   Walter Breda

 

“Fomos colegas na EAD, onde foi um aluno brilhante. Impossível esquecer sua atuação em ‘Castro Alves’, já no teatro profissional. Zanoni Ferrite foi um ator inesquecível.”

                                                                                               Antônio Petrin

 

“Grande arte, curta vida. Zanoni foi um dos maiores da sua geração. Parecia querer sempre mais. Em doze anos, (1966-1978) tornou-se inesquecível para mim como artista e amigo.”

                                                                                                  Jefferson Del Rios

 

“Zanoni, amigo querido de tantas estradas afora, que foi embora tão sem demora. Ainda hoje, o palco lamenta e chora. A homenagem está mais que na hora.” 

 

                                                                         Luiz Serra (referindo-se à inauguração do Teatro Zanoni Ferrite)

                                                   

“Era rigorosamente bom e decente. Não se permitia vaidade ou orgulho. Aberto à experiência e à aventura. Ator excepcional, liderava seu tempo, sem querer liderar.”

 

                                                                                                 Antônio Abujamra

 

“O brilho que tinha como ator é agora estrela. Às vezes, a gente olha para o céu.”

 

                                                                                           Antunes Filho

 

“Zanoni Ferrite, exemplo do ator de garra, a força política e humana do teatro brasileiro. Os companheiros lembrarão saudosos, seus gestos marcantes.”

 

                                                                                       Rolando Boldrin

 

“Carismático, talentoso, generoso, solidário. Esse era o Zanoni, ou Nano para os íntimos. Deixou um vazio no teatro do seu tempo.”

                                                                                                Analy Alvarez

 

“Para a nossa geração, Zanoni Ferrite era uma referência pelo seu enorme e generoso talento e sua luta por uma sociedade mais justa.”

                                                                                          Umberto Magnani

 

“Zanoni Ferrite sempre se entregou com paixão aos papéis que interpretava. Que bom ter um teatro com o nome dele na Zona Leste. Que seja movido à paixão pelo teatro, como Zanoni o foi.”

                                                                                         Gabriela Rabelo

 

“Zanoni… Meu pai, minha referência, meu maior critério; talvez, o maior e mais importante ator de sua geração. Quando comecei a fazer teatro, morria de medo da responsabilidade de carregar o Ferrite no meu nome. Só que tem gente que morre e vira pó, tem gente que morre e vira purpurina, e ele virou um vírus, potente, violento, sempre presente. Um vírus do teatro e do amor ao artista do teatro. Esse vírus mora em mim, foi a herança mais rica que eu poderia ganhar. Uma maneira linda de me manter conectada a ele. Então, assim, através do teatro, ele se tornou meu companheiro, meu melhor amigo, porque é sempre nele que penso quando surgem as emoções, as dúvidas, as revoltas, todas as turbulências por que passamos em cada dia de nosso ofício, em cada ensaio, em cada apresentação, e, até mesmo, em cada espetáculo que assistimos… Eu e ele.” 

                                                                                Isadora Ferrite