Um Show Contra o Preconceito

Publicado em: 02/05/2011

Sexta-feira, dia 29 de abril de 2011: data reservada pelo destino a grandes celebrações. Horas após o mundo parar para ver o casamento entre o príncipe William e Kate Middleton, a SP Escola de Teatro também parou para acompanhar a interpretação da recepcionista Brenda Oliver, estreando o Território Livre.

 

Meio dia e meia. Todos na Escola se agrupam no pátio e nas sacadas para acompanhar a tão esperada apresentação. Eufóricos, ouvem o diretor executivo da Escola, Ivam Cabral, anunciar a estreia do programa e, finalmente, a entrada da estrela do dia. “Com vocês, a incrível, a maravilhosa, a absoluta, Brenda Oliver!”.

 

Sob intensos aplausos, Brenda deixa o camarim e caminha diretamente ao centro do pátio, dentro de um vestido vermelho repleto de adornos e com um véu a cobrir sua face. Ao contagiante som de “Flamenco Árabe”, da cantora de origem egípcia Dalida, a recepcionista mostra toda sua desenvoltura e desfila sua sensualidade, enquanto dança levemente pelo espaço. 

 

Terminada a primeira interpretação, sai aplaudida e sob o coro que pedia: “Mais, um! Mais um!”. Passados 20 minutos, a estrela retorna, mais uma vez sob aplausos e gritos de incentivo. Dessa vez, coberta com um vestido prateado e portando um microfone, para interpretar e dublar “Gracias a Dios”, da mexicana Thalía. 

 

Depois de demonstrar seu carisma com o público ao se exibir para as câmeras em movimentos ousados e sugestivos, Brenda encerra a apresentação e, ainda aplaudida, pede um instante para fazer uma homenagem a Cabral, dedicando a música a ele e agradecendo pela oportunidade que o diretor lhe ofereceu e pela forma como a recebeu. “Nós, transexuais, sofremos muito para conseguir um espaço, e o Ivam acolheu a mim e as outras meninas da recepção. Me sinto muito lisonjeada e contente por fazer parte dessa família”, declarou, antes de ser ovacionada pelo público.

 

Com um sorriso estampado no rosto, o diretor executivo da Escola afirma: “Estou muito emocionado, porque eu sei das dificuldades que pessoas como ela passam, eu sei de onde ela veio e o quanto batalhou para chegar aqui. Valeu muito a pena”.

 

Funcionária da SP Escola de Teatro há dois meses, Brenda conseguiu o cargo por meio do Programa Kairós, que realizou um processo seletivo para vagas na recepção, sempre reservadas a transexuais.

 

O Território Livre é um espaço oferecido pela Escola para os funcionários compartilharem os seus talentos e aptidões com todos. “É um espaço para os funcionários também exercerem o seu direito de artista”, completa Cabral.

 

O evento contou também com a presença de Ivan Santos Batista, assessor do CADS (Coordenadoria de Assuntos de Diversidade Sexual). O CADS tem um programa chamada POT (Programa Operação Trabalho), por meio do qual Brenda realizou vários cursos como bolsista antes de entrar na Escola. 

 

Veja todas as fotos da apresentação em nossa Galeria Multimídia.