Um Dia de Ator

Publicado em: 15/04/2011

A aula de Atuação da última sexta-feira (08/04) foi mais uma etapa da preparação para o Experimento do Módulo Azul, sob a orientação da formadora Cris Zuan Esteves, acompanhada por Filipe Brancalião. 

 

Como sempre acontece, na SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco o dia dos futuros atores inicia-se com a limpeza da sala. Todos de pés descalços e com panos em mãos limpam o ambiente em que vão aprimorar suas técnicas. “É uma espécie de purificação do ambiente e também um exercício de humildade”, define Cris.

 

Com o espaço em ordem, os aprendizes fazem o trabalho de aquecimento e alongamento, que condiciona os corpos para os exercícios que vêm depois.

 

Após isso, a formadora realiza um debate sobre o andamento do Processo. Nesse momento, são discutidas várias questões, como o método de trabalho que cada grupo irá seguir, a forma como cada aprendiz está enxergando a posição dos outros cursos na preparação e a opinião deles em relação aos workshops que foram realizados. 

 

O próximo passo é uma espécie de dinâmica, onde duas fileiras de aprendizes posicionam-se frente a frente, separadas por alguns metros. Um a um, entram para o centro, onde, segundo Cris, “trabalham o tempo e o espaço”, interagindo entre si. Este é o fim da primeira parte da aula. “O primeiro horário é para aquecimento e programação. Na volta do intervalo, eles vão começar a criação de atuações.”

 

Os aprendizes descansam por alguns minutos e retornam à aula, agora para experimentar diversas formas de atuação, todas baseadas na performatividade: simulação de banho com batuque e canções, sinfonia de ruídos e guerra de bolinhas no corredor, sapatos quase ganhando vida, diálogos surreais. A improvisação corre por caminhos completamente surpreendentes.

 

No final da aula, Cris reúne todos para comentar sobre as apresentações. “O importante é saber usar o espaço como elemento compositor”, observa. Ela ainda comenta que espera que, no Experimento, seus aprendizes “proponham dramaturgia de ação dentro de uma expansão de presença”.

 

Cris Zuan Esteves é atriz, diretora e dramaturga, formada pela École de Theâtre Jacques Lecoq, em Paris. É fundadora e dirige o grupo OPOVOEMPÉ. No Brasil, trabalhou com Zé Celso, Renato Borghi e Walter Avancini.

 

O coordenador do curso de Atuação é Francisco Medeiros, diretor que possui mais de 40 prêmios em sua carreira. Atualmente, participa de um projeto de troca de processos de criação com a Cia. Senhas, de Curitiba.