Um até Breve

Publicado em: 31/03/2011

Direto de Nanuque, cidade do interior de Minas Gerais, Alisson Matos, estudante de Jornalismo, passou alguns meses em um estágio na equipe de Comunicação e Ideias da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco. Entretanto, outras portas se abriram para esse mineiro que agora vai realizar seu sonho de trabalhar com jornalismo esportivo e acaba de deixar a Escola.
 

Abaixo, leia a despedida carinhosa de Alisson, que deixamos registrada aqui como forma de homenagear e desejar muita sorte para esse mineiro bom de bola.

 

Um Até Breve

Nesses momentos sobram agradecimentos e faltam palavras. Faltam expressões e sobram lembranças. Foram pouco mais de dois meses, no qual aprendi a valorizar três palavras essenciais na vida de qualquer ser humano: aprendizado, responsabilidade e convivência.

 

Para muitos, seria um simples estágio. Para mim, ao contrário, foi muito mais do que isso. A oportunidade foi dada por uma instituição que beira o inimaginável. Não consigo, de maneira alguma, ao menos, pensar em um ambiente tão favorável para se iniciar um ciclo de tamanha relevância. Foi surreal! Mesclar trabalho sério com diversão é algo que, acredito, só na SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco se pode fazer. Dificilmente encontrarei outro lugar que se assemelhe à Escola. E levarei um pouco de todos, sem exceção, para o resto da minha vida.

 

O meu primeiro dia de estágio ficará marcado eternamente em minha história como forma de agradecimento. Lembrarei até meus últimos dias da oportunidade. Oportunidade essa que, para mim, é ampliada, não se restringindo somente a chance de um trabalho, e sim ao me dar a felicidade de conviver com pessoas dignas de elogios. As risadas com o Rodrigo Meneghello, os almoços com boa parte da Escola, as brincadeiras com a Renata Forato, as ajudas da Lilian Rammazzina, as dicas do Carlos Hee, a convivência com o Eric Vechionne e o aprendizado adquirido com a Erika Riedel fizeram parte do meu cotidiano por um tempo. E tudo contribuiu, de forma efetiva, para minha evolução.  E, confesso, sou grato.

 

A hierarquia, regra nas empresas comuns, aqui se mistura com o mundo das artes cênicas e faz como que tudo isso se torne mágico. Se ter um diretor-executivo como o Ivam Cabral já dispensa comentários, imagine ter a possibilidade de conhecer grandes nomes do teatro nacional e, com eles, participar de eventos que, há pouco tempo, não faziam parte das minhas conquistas.

 

Com toda honestidade do mundo, vou com um aperto no peito e com a sensação de que poderia ter durado um pouco mais, mas como bem disse, certa vez, o gênio colombiano Gabriel García Marquez, “Não chore porque acabou, mas sorria porque aconteceu”. E é com essa convicção que me desligo do lugar que proporcionou um dos momentos, indiscutivelmente, mais felizes da minha existência. Aprendi muito e a busca pelo conhecimento é a mola propulsora da vida. 

 

Como tenho certeza de que as relações não se findam por aqui, não deixarei um adeus e sim um até breve. 

 

Sem mais, a gente se vê, pessoal. 

 

Alisson Matos, ex-estagiário, com muita honra, da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco.