Trabalho apresentado na SP Escola de Teatro é tema do programa Bem Estar, da Globo

Publicado em: 24/09/2014

O neurologista Thomas Grunwald e o dramaturgo Anton Rey, ambos suiços, apresentaram na Sede Roosevelt da SP Escola de Teatro, em agosto, a performance “Act like you mean it”, criada a partir de uma pesquisa neurocientífica sobre o trabalho de encenação dos atores.

 

Na semana passada, o programa Bem Estar, da TV Globo, exibiu uma reportagem sobre a pesquisa dos suíços, que utiliza atores para investigar como o cérebro lida com as emoções. 

 

Para tentar compreender como as emoções são sentidas e processadas dentro do nosso cérebro, a matéria entrevistou os pesquisadores e também os atores que trabalham na performance, Gustavo Sol e Florência Santangelo. Segundo Anton Rey, o projeto pretende descobrir se há diferença entre emoção real e falsa.

 

Florência Santangelo e Gustavo Sol em cena (Reprodução / TV Globo)

 

Aplicar as descobertas em pacientes com epilepsia é um dos próximos objetivos. Assim, os resultados também poderiam contribuir para tratamentos médicos e pacientes com problemas de memória. 

 

Assista à reportagem completa no site do programa.

 

A performance criada como parte da pesquisa mira “a neurociência por trás da história de amor mais antiga do mundo”. Nela, a famosa cena na varanda, de “Romeu e Julieta”, de Shakespeare, serve como ponto de partida para investigar as sensações trocadas entre público e artistas do palco.

 

Foi a primeira vez que o trabalho veio à América Latina. Áustria, China, Estados Unidos, Índia e Suíça são os países que já receberam a performance, que é definida como “parte científica, parte cênica”.

 

A investigação buscou utilizar a neurociência para compreender como os atores conseguem transmitir sentimentos profundos e afetar efetivamente os espectadores, trabalhando sobre questões como a que se refere ao estímulo dos artistas: eles realmente amam ou odeiam seus parceiros de cena ou apenas fingem tais sentimentos?

 

Integram a equipe do projeto o neurologista Thomas Grunwald, do Centro Suíço de Epilepsia em Zurique, e o dramaturgo Anton Rey, do Instituto de Artes Cênicas e Filme (IPF) da Universidade de Artes de Zurique, que também ministrou o workshop “Teatro contemporâneo europeu” aos aprendizes da SP Escola de Teatro.