Texto da aprendiz Daniele Veiga ganha leitura no SP Dramaturgias

Publicado em: 27/11/2015

Aprendiz do Curso Regular de Dramaturgia, Daniele Veiga tem um de seus textos lidos em mais uma edição do SP Dramaturgias. Desde junho de 2012, o projeto oferece, na SP Escola de Teatro — Centro de Formação das Artes do Palco, leituras dramáticas de textos inéditos e contemporâneos. A coordenação é de Marici Salomão e Alessandro Toller — coordenadora e formador de Dramaturgia, respectivamente.
 
Daniele Veiga apresenta “Devastação ou Esperar a hora da morte”, peça que aborda a situação-limite estabelecida pela guerra e as relações do homem com o conflito. O texto abarca a vulnerabilidade e o sentimento de não pertencimento diante de um ciclo interminável de violência. 
 
“‘Devastação…’ se utiliza da mais extrema violência perpretada pelo homem — a guerra — para tratar de sentimentos que nos consomem em situações-limite”, diz Daniele. “Neste texto, tudo é escombro. Os personagens compreendem a dimensão de sua vulnerabilidade, eles estão fora do lugar, não pertencem a país nenhum e pertencem a todos ao mesmo tempo.”
 
 
Num enredo, uma mulher que vive em uma terra árida vê uma oportunidade em tempo de crise: começa a vender meninas. Os caminhos desta personagem se cruza com as trajetórias de outras figuras, como a de um pai que perde um filho e a de uma estrangeira que, soterrada após mais um bombardeio, só aguarda pela morte.
 
Segundo a dramaturga, o que era para ser apenas um trabalho de curso virou um projeto avassalador, no qual ela mergulha cada vez mais. “Muita coisa me inspirou a escrever esta primeira versão, mas eu precisava me situar: os últimos acontecimentos na Síria foram meu ponto de partida”, diz. A partir das notícias, Daniele percebeu como isso a afeta e como seria possível estabelecer uma relação dos acontecimentos do país com a violência sofrida por ela em seu cotidiano.
 
Daniele diz que sem a SP Escola de Teatro, o texto não existiria. “Parece frase feita, mas é verdade”, afirma. “Não só o Curso Regular, mas as provocações e reflexões e a troca de experiências com formadores e colegas forneceram materiais riquíssimos e, acima de tudo, estímulos para compor a escrita.” E completa: “Em um país que pouco lê, em que quase nunca se escreve, ter um espaço em que possa me dedicar intensivamente para treinar meu pensamento dramatúrgico é um privilégio”.
 
Sob orientação de Cecilia Bilanski, outros aprendizes da SP Escola de Teatro participam do projeto:
Atuação: Eric Junior Barros Takhashi, José Gelson da Silva Filho, Kryslei Cipriano Goes, Manuella Alves da Silva, Rafael Oliveira Rodrigues e Tatiane Camargo Sgorlon
Direção: Luana Miguel
Dramaturgia : Cristina Santos, Vinicius da Silva Souza
Sonoplastia: Fabio Lima
 
Serviço
SP Dramaturgias – Leitura dramática de “Devastação ou Esperar a hora da morte
SP Escola de Teatro. Sede Roosevelt. Praça Roosevelt, 210, Consolação.

1º de dezembro, terça-feira, 20h. Grátis e aberto ao público.




Relacionadas:

Notícias | 17/ 01/ 2022

10ª Edição do SP Transvisão – Semana da Visibilidade de travestis e transexuais ocorre a partir do dia 23 de janeiro, na Sede Roosevelt da SP Escola de Teatro

SAIBA MAIS

Notícias | 17/ 01/ 2022

Oficina de HQ abre temporada 2022 da Extensão Cultural da SP; confira como foi!

SAIBA MAIS

Notícias | 14/ 01/ 2022

Agenda Cultural: as melhores dicas para o seu fim de semana!

SAIBA MAIS