SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco

Publicado em: 03/03/2011

 

A SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco é uma Instituição criada e mantida pelo Governo do Estado de São Paulo com o objetivo de formar profissionais especializados nas artes cênicas, seguindo o conceito “artistas que formam artistas”.

 

A proposta da Escola, inaugurada em novembro de 2009, é adequar os aprendizes a processos nos quais não haverá predomínio de um diretor, dramaturgo ou ator, mas uma contribuição horizontal e harmônica de cada integrante do projeto. O artista formado pela Escola vai participar de um universo múltiplo e dinâmico, no qual cada setor dialoga plenamente com o outro.

 

Os aprendizes dos Cursos Regulares devem cumprir quatro horas de aulas de terça a sexta e, aos sábados, em período integral, durante dois anos. Para os cursos de Extensão Cultural a carga horária é de 64 horas, divididas entre um e quatro meses, dependendo do curso. A Escola também está aberta à população que pode conferir palestras, debates e workshops.

 

A primeira turma de aprendizes a concluir o ciclo de quatro módulos deixou a Escola em 2011.

 

Cursos Regulares

Com sedes na Praça Roosevelt, 210, e na Avenida Rangel Pestana, 2.401, Brás, a Escola oferece oito Cursos Regulares – Atuação, Cenografia e Figurino, Direção, Dramaturgia, Humor, Iluminação, Sonoplastia e Técnicas de Palco –, com carga horária mensal de 96 horas, que abrangem o amplo espectro do fazer teatral.

 

Os cursos são dirigidos a maiores de 18 anos (com Ensino Médio completo) e a artistas que busquem aperfeiçoar seus conhecimentos na área do teatro.

 

Ao todo, são abertas 1.200 vagas ao ano, sendo 390 para os oito Cursos Regulares e as demais divididas entre os cursos de Extensão Cultural.

 

Cursos de Extensão Cultural

Os Cursos de Extensão Cultural estão distribuídos em diferentes dias e horários e abordam temas relacionados às interfaces entre as artes do palco e áreas afins, contemplando a multiplicidade de possibilidades do fazer e do refletir cênico.

 

Somente poderão se candidatar às vagas para os Cursos de Extensão Cultural aqueles que possuírem 18 anos completos e comprovação de conclusão do Ensino Médio.

 

Cada um dos cursos se destina a diferentes públicos a serem explicitados nas ementas disponibilizadas online no ato da divulgação dos cursos e das vagas.

 

O ingresso se dará mediante exame de currículo, até o preenchimento das vagas.

 

Para os participantes que cumprirem os requisitos de presença às aulas e de aproveitamento nos cursos oferecidos, será expedido um certificado especificando as características do curso feito e o número de horas-aula oferecidas.

 

Programa Kairós

Vem do Programa Kairós o conjunto de ações que gera oportunidades aos aprendizes, funcionários e colaboradores da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco. Na competência destas ações, a Escola exerce a sua vocação: contribuir para a construção de uma sociedade pautada por ideais de justiça e igualdade.

 

Em 2011, a Ação Bolsa-Oportunidade, uma iniciativa do Programa Kairós, beneficiou aprendizes dos Cursos Regulares da SP Escola de Teatro com o valor de R$ 545,00 mensais durante o curso, durante 10 meses por ano.

 

Ainda em 2011, o Programa levou três aprendizes dos cursos de Cenografia e Figurino e Técnicas de Palco, cujos trabalhos selecionados para participarem da 12ª edição da Quadrienal de Praga. Além das passagens, eles também foram contemplados com €500,00, com o intuito de custear hospedagem e alimentação na capital tcheca.

 

Já em 2012, um aprendiz de Atuação foi enviado para Portugal, para um intercâmbio de quatro meses na companhia lusa Viv’Arte, fundada em 1988, que une teatro, recriação histórica e conceitos do teatro de rua. Neste mesmo ano, outros dois aprendizes de Atuação foram enviados a Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, para estudarem, durante dois meses, na Escuela Nacional de Teatro da Bolívia. 

 

Parceria com a Suécia

Em 2012, a SP Escola de Teatro fechou um convênio de oito anos com a Academia de Artes Dramáticas de Estocolmo (em sueco: Stockholms Dramatiska Högskola, conhecida pela sigla Sada). 

 

O processo de cooperação deverá desenvolver-se em duas etapas: de 2012 a 2015 e de 2016 a 2019. Na primeira, serão envolvidos, em intercâmbios, os professores e coordenadores de ambas as instituições, a fim de alargar a parceria. Assim, professores suecos serão convidados a ministrar oficinas e workshops na SP Escola de Teatro, bem como coordenadores da Escola viajarão para a Suécia para comandar atividades com os alunos de lá. A ideia é compor uma produção com alunos da Academia e aprendizes da SP Escola de Teatro. Já a segunda fase pretende registrar, em um vídeo-documentário e em um rádio-documentário, bem como em uma publicação escrita, todo o processo da parceria sueca-brasileira, que deverá culminar em uma exibição dessas produções no Royal Dramatic Theatre, em Estocolmo, além de uma performance mesclando aprendizes brasileiros e alunos suecos.

 

Projeto Escola Verde

De olho na sustentabilidade e na preservação do meio ambiente, nasceu em 2010, quase que simultaneamente à data de fundação da SP Escola de Teatro, o Projeto Escola Verde, que visa conscientizar seus funcionários acerca do papel da Instituição perante a sociedade, colocando em prática ideias que contribuam com a sustentabilidade ambiental e social.

 

Entre as ações desenvolvidas pelo Projeto, estão: criação da Sala Verde; plantio de árvores nas regiões das sedes Brás e Roosevelt da Instituição; inauguração de bikepoints nas duas unidades da Escola; abolição do uso de copos plásticos para consumo de água e café no interior da escola, evitando que o material seja jogado no meio ambiente, onde leva 200 a 450 anos para se decompor etc.

 

Revista A[L]BERTO

Em dezembro de 2011, foi lançada a revista A[L]BERTO, uma publicação totalmente voltada para as artes cênicas. Em sua pauta, está a reflexão sobre o fazer teatral. A professora e pesquisadora Silvana Garcia é a responsável pela coordenação da revista, cujo nome homenageia o professor, crítico, dramaturgo, diretor e ator Alberto Guzik (1944-2010). 

 

O periódico nasceu com a perspectiva do confronto de ideias próprio do artista que, nas palavras do Diretor Executivo da SP Escola de Teatro, o ator Ivam Cabral, não temia o risco e possuía uma visão plural sobre a vida e a arte. A versatilidade e a abertura de Alberto Guzik inspiraram a publicação que traz, desde a opção gráfica do título, o conceito do convívio entre pontos de vista diversos.

 

Teatropédia

Lançada em 2010, a Teatropédia, produzida pela SP Escola de Teatro, reúne verbetes de atores, diretores, dramaturgos e outros profissionais e peças ligadas ao teatro. Ela não tem restrições geográficas nem econômicas. O espaço é aberto para todos os grupos que fazem das Artes Cênicas seu modo de vida, seja amador ou profissional. E, mais importante, é aberta à contribuição de todos, por isso foi idealizada no sistema Wiki, que permite a participação de um número infindável de colaboradores. Pessoas interessadas em teatro que podem fazer com que o número de verbetes da Teatropédia aumente a cada dia.

 

Atualmente, passa da casa dos 4.500 verbetes.

 

 

Informações Gerais da Escola

 

Estrutura da Escola

1. 25 vagas em cada um dos oito Cursos Regulares*, totalizando, nos dois períodos, 390 vagas por ano (*exceto o curso de Direção que disponibiliza 20 vagas)

2. Processo Seletivo anual

3. Público-alvo: jovens maiores de 18 anos (com Ensino Médio completo) e artistas que buscam aprofundar seus conhecimentos na área do teatro

 

Duração dos Cursos Regulares

Quatro módulos (2 anos).

 

 

 

Mais informações à imprensa:
Coordenadoria de Comunicação da Secretaria da Cultura
Lígia Gama – (11) 2627-8162 – lgama@sp.gov.br