Seleção para workshop com Fernanda D’Umbra e sua Pantera Cia. de Teatro

Publicado em: 20/08/2013

A atriz, diretora e dramaturga Fernanda D’Umbra e sua trupe, a Pantera Cia. de Teatro, formada por Maria Tuca Fanchin, Samya Enes, Ofélia Lott, Edson Kumasaka, Pablo Perosa, Leopoldo Ponce e Débora Ester, cumprem residência na Escola, que vai culminar com a estreia do espetáculo “Tapa na pantera”, o primeiro do grupo.

 

O monólogo, estrelado por Fernanda, conta a história de Maria Alice Vergueiro, inspirado no livro “Tapa na pantera – uma auto-biografia não autorizada”, além de registros de trabalhos, entrevistas e depoimentos de amigos e da própria atriz. No palco, duas personas: Maria Alice Vergueiro e Fernanda D’Umbra, ambas interpretadas por Fernanda, que “revive” Maria Alice, ao mesmo tempo em que “mostra” como faz isso.

 

A residência inclui um workshop, voltado tanto para aprendizes quanto para o público externo, ministrado por Fernanda e Maria Tuca Fanchin. Serão duas aulas, nos dias 2 e 3 de setembro, das 19h às 22h, na Sede Brás da Escola (Av. Rangel Pestana, 2.401 – Brás). As inscrições estão abertas e vão até o dia 29 de agosto. Os interessados devem encaminhar carta de interesse para a seleção, com, no máximo, 10 linhas, para cursosregulares@spescoladeteatro.org.br; O resultado, com a lista dos aprovados para o workshop sairá no sábado (10).

 

Interessados pelas áreas de iluminação, cenografia e produção poderão, ainda, acompanhar o processo de criação ao lado dos profissionais responsáveis por suas respectivas áreas. O prazo de inscrição para isso acaba no dia 5 de setembro, e, a partir do dia 12, os inscritos já farão o acompanhamento.

 

A produção do espetáculo ficará a cargo da artista Samya Enes, que selecionará cinco aprendizes para participarem deste trabalho. Os interessados devem encaminhar carta de interesse para a seleção, com, no máximo, 10 linhas, para heidesoares@spescoladeteatro.org.br.

 

Pablo Perosa é o responsável pela iluminação da peça. Ele também selecionará cinco aprendizes para acompanhar a criação, montagem, afinação de luz e ensaio geral. Desses cinco, quem se interessar poderá ter a oportunidade de fazer a operação de luz durante a temporada do espetáculo. 

 

Já o figurino levará a assinatura de Ofélia Lott. Ela vai escolher três aprendizes assistentes e dois ouvintes para acompanhar sua empreitada. Os interessados deverão auxiliar na pesquisa e compra de materiais; ter habilidade manual para a costura, e escrever uma carta de interesse de, no máximo, 10 linhas. Mesmo caminho seguirá o artista Leopoldo Ponce, para a concepção do cenário. Ele terá três aprendizes assistentes e dois ouvintes, mas, para a seleção, é preciso apenas encaminhar carta de interesse de, no máximo, 10 linhas. As cartas de interesse deverão ser enviadas para heidesoares@spescoladeteatro.org.br.

 


Texto: Esther Chaya Levenstein