Segundo Dia de Atividades do Ecum

Publicado em: 02/11/2010

Em troca do burburinho de compradores, de ruas repletas de pessoas com suas enormes sacolas e do trânsito pesado, até nas calçadas, na terça-feira (2), o silêncio pairava no Brás, bairro da Zona Leste da capital paulista, onde se localiza a sede provisória da SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco.
 

O feriado, porém, não interferiu no segundo dia de atividades da extensão paulista do Centro Internacional de Pesquisa sobre a Formação em Artes Cênicas (Ecum), que contou com a presença de participantes vindos de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Goiás, Mato Grosso, Pernambuco, Salvador, Rio Grande do Norte, Ceará, Acre e Amazonas.
 

Desde as 8h da manhã, esses artistas enfrentaram uma maratona de quase nove horas de exercícios físicos e mentais nas oficinas com os artistas-pedagogos russos Anatoli Vassiliev, Alexey Levinskiy e Tatiana Stepantchenko.
 

Para dar assistência aos participantes, a SP Escola de Teatro selecionou três aprendizes para acompanhar as oficinas. O papel deles é dar apoio aos tradutores e oficineiros, entretanto, todos participam dos exercícios e apreendem a teoria tanto quanto os colegas.
 

Airá Fuentes, aprendiz do curso de Dramaturgia, acompanha as oficinas do diretor Anatoli Vassiliev e conta que se formou em Artes Cênicas, na Universidade Federal de Ouro Preto, e, por isso, já conhecia havia tempos o projeto do Ecum. “Estou adorando participar das oficinas. Este é meu primeiro contato com as técnicas e metodologias de Vassiliev e posso afirmar que tem sido um privilégio estar entre tantos artistas experientes”, afirma.
 

Quem ficou encarregado de participar da energética oficina de Alexey Levinskiy foi o aprendiz do curso de Humor Vitor Carneiro de Castro. “Assim que iniciamos a oficina, Levinskiy avisou que não aprenderíamos teoria sobre a Biomecânica, só a prática. Ou seja, conseguiremos extrair os ensinamentos dele com muita facilidade. Um lado ótimo dessa oficina: pura prática”, reflete.
 

Antonia Josilandia Lopes Matos, aprendiz do curso de Direção, diz que esbarrou “feliz da vida” na oportunidade de ser monitora de Tatiana Stepantchenko. “Acho que se eu fosse escolher sozinha, optaria pela oficina com Vassiliev, devido ao seu renome. Mas, engano meu, as teorias e práticas que a Tatiana ensina vão de encontro certeiro com a minha inquietação como diretora e atriz. Ela ensina a percorrer o caminho do ator, tem uma análise muito peculiar sobre a direção e mostra que o diretor deve iluminar o processo de comunhão entre ator, corpo, texto, som e cena”, afirma.
 

A extensão paulista do Ecum acontece até dia 5 de novembro na SP Escola de Teatro (oficinas) e no Teatro Aliança Francesa (conferências).